O colunista Josias de Souza, do portal UOL, afirma que antes de o juiz Marcelo Bretas ficar sob os holofotes da mídia, o magistrado frequentemente aparecia nos noticiários como uma espécie de versão carioca do então juiz da Lava-Jato Sergio Moro. Bretas é o responsável pelos processos da Lava Jato no Rio de Janeiro.

O magistrado, ao que parece, pretende trilhar o mesmo caminho percorrido por Moro na vida política. Esta foi a conclusão do jornalista do UOL, que relatou o apoio de Bretas às atividades de Jair Bolsonaro (sem partido) no Rio de Janeiro.

Boas-vindas

O juiz postou no último sábado (15) um vídeo no Instagram com uma legenda que dizia que o Rio de Janeiro dava as boas-vindas ao presidente Jair Bolsonaro e sua comitiva.

O vídeo exibia o desembarque do mandatário no sábado.

Bretas aparece em cena no final de uma fila para cumprimentar o presidente. Nesta fila estavam presentes o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), e um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido).

Bretas participou de atividades que não fazem parte de suas atribuições como juiz. Ele esteve sempre presente ao lado de Jair Bolsonaro e chegou até mesmo a estar em no carro oficial do presidente para ir à inauguração de uma obra que faz a ligação da Ponte Rio-Niterói com a Linha Vermelha.

Marcelo Bretas é evangélico e posou junto de Bolsonaro em um palanque montado na praia de Botafogo em comemoração aos 40 anos da Igreja Internacional da Graça de Deus, que pertence ao missionário RR Soares.

Em um momento em que Jair Bolsonaro vive conflitos constantes com o ex-aliado Wilson Witzel (PSC-RJ), Marcelo Bretas esteve presente na dancinha que formalizou a união de Bolsonaro com Crivella. O presidente e o prefeito do Rio rodopiaram abraçados ao som de um cântico evangélico.

Foi há oito meses que Bretas foi a Brasília encontrar o presidente Bolsonaro.

O encontro aconteceu no Palácio da Alvorada, mas não fazia parte da agenda oficial do presidente. Desde então o magistrado tem se aproximado do Planalto discretamente. A superexposição ocorrida no último sábado acontece a nove meses da aposentadoria do decano do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello.

Jair Bolsonaro ficará encarregado de indicar o substituto de Celso de Mello. O presidente já se manifestou diversas vezes sobre sua intenção de encaminhar ao Senado um candidato "terrivelmente evangélico". Bretas se articula como se quisesse fazer parte do rol de opções de Jair Bolsonaro. Além das imagens ao lado líder do Executivo, o juiz também postou no Instagram foto em que posa abraçado ao ministro Augusto Heleno (GSI), um dos ministros mais ligados a Bolsonaro.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!