O polêmico escritor Olavo de Carvalho, que é considerado o guru intelectual dos Bolsonaros, foi mais um que criticou Jair Bolsonaro (sem partido) na noite de quarta-feira (18). O auto proclamado filósofo fez suas críticas ao líder do Executivo no Facebook enquanto acontecia um panelaço contra o presidente em várias cidades do Brasil.

O intelectual de direita afirmou que desde o início do mandato do presidente o havia aconselhado a desarmar os seus inimigos antes de tentar resolver qualquer “problema nacional”. Olavo de Carvalho queixou-se dizendo que Bolsonaro fez exatamente o oposto do que foi aconselhado.

Para o morador da Virgínia, nos Estados Unidos, Jair Bolsonaro deu ouvidos aos generais que fazem parte do Governo, o que, nas palavras de Olavo, teria dado tempo de os inimigos de Jair Bolsonaro se fortalecerem, enquanto o presidente perdia tempo com “lacrações teatrais”. O astrólogo ainda afirmou que talvez seja tarde demais para uma reação.

Adaptado ao sistema

Olavo afirmou que Jair Bolsonaro não enfraqueceu seus inimigos e ainda se moldou ao sistema, o que Carvalho considerou ser um suicídio político. O teórico da conspiração fez uma pergunta retórica para dizer que Bolsonaro nada fez contra seus inimigos, que somente lhe deu umas alfinetadas, e isso, ao invés de enfraquecê-los, teria os irritado.

Bolsonaro foi eleito para derrubar o sistema, mais foi aconselhado por políticos e generais medrosos, então o presidente preferiu se adaptar ao sistema, o que provocou seu suicídio, teorizou o pensador de direita. O presidente na quarta-feira reforçou as ideias do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de que os próximos dias serão duros, porém serão mais fáceis se cada pessoa preocupar-se com seus familiares.

Autoelogio

Bolsonaro acrescentou que o momento é preocupante, de extrema gravidade, mas por outro lado, deixou a modéstia de lado e enxergou uma vitória do governo e ainda cobrou que a imprensa o elogiasse. Usando uma metáfora futebolística, o presidente disse que se o time sai vencedor, todos são parabenizados, se o time perder, demiti-se o técnico, então, na visão de Bolsonaro, o time está ganhando, então deve-se elogiar o técnico, que ele fez questão de dizer que o nome deste técnico é Jair Bolsonaro.

Morde e assopra

Em pronunciamento ocorrido à noite no Palácio do Planalto para comentar sobre o novo coronavírus, o presidente acenou para o Legislativo e o Judiciário para tentar demonstrar entendimento entre os poderes. Bolsonaro estava sentado ao lado do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Dias Toffoli. Jair Bolsonaro elogiou a atuação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em votações importantes para o governo no Congresso, como a aprovação de estado de calamidade pública, ocorrida na noite de quarta-feira.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!