Maitreiy Ramakrishnan é uma jovem atriz canadense de 18 anos. Depois de disputar com mais de 15 mil candidatas, ela ganhou o papel principal na série de comédia da Netflix "Eu nunca...".

De uma hora para outra ela passou a ser considerada o destaque da trama que narra a trajetória de uma adolescente indo-americana de primeira geração.

A série se tornou um grande sucesso e é uma das mais vistas na plataforma de streaming no ano de 2020.

Em entrevista à BBC, a jovem atriz fala sobre como foi chocante para ela perceber que por causa do sucesso da série, ela teve que lidar com o aspecto negativo das redes sociais.

Maitreiy declarou que se por um lado ela acompanha os comentários em suas redes sociais, não deixou de ficar surpresa com um aspecto da fama repentina.

Ódio

Ramakrishnan afirrmou que se preparou para os compromissos decorrentes da produção da gigante do streaming, como a entrevista que concedeu à BBC.

Mas confessou que não estava preparada para o ódio vindo das redes sociais, mesmo dizendo que sabia que isto iria ocorrer, pois é o nosso mundo, lamentou Ramakrishnan.

A atriz canadense afirmou que sabe o que é um comentário maldoso ou uma ameaça de morte na internet, mas a situação é diferente quando ela passa a ser o alvo das ameaças.

Maitreiy afirmou ainda que decidiu se afastar temporariamente de todas as suas redes sociais quando se sentiu oprimida por todas estas ameaças.

As contas nas redes sociais de Maitreiy Ramakrishnan são operadas por ela própria, pois ela quer que ser a sua verdadeira voz, explicou a atriz.

Embaixadora

Os ataques que Maitreiy Ramakrishnan têm sofrido na internet infelizmente não é algo raro de acontecer, muito pelo contrário.

Uma pesquisa recente sobre ataques nas redes sociais revelou que dos mais de vinte países que participaram da pesquisa, mais de 14 mil meninas e jovens mulheres entre 15 e 22 anos foram vitimas da violência online.

Por esta razão, a jovem estrela da Netflix se tornou embaixadora da Plan International, ONG que luta pelo direito das crianças e também é focada na igualdade de gênero.

Dia Internacional da Menina

Os resultados da pesquisa foram divulgados intencionalmente no Dia Internacional da Menina (11 de outubro).

A pesquisa revelou que são vários tipos de assédio que elas sofrem, desde uso de linguagem abusiva até ameaças de violência sexual e comentários racistas.

Os pesquisadores da Plan International relataram que pelo menos 1 em cada 5 pararam ou reduziram de maneira significativa o tempo que passavam nas redes sociais.

Facebook e Instagram

O Facebook e o Instagram são as redes sociais em que mais ocorrem estes tipos de violência contra as mulheres.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!