Uma das estreias da última sexta-feira (16) na Netflix é a minissérie "Alguém tem que morrer". A produção de três capítulos é uma criação do cineasta mexicano Manolo Caro, conhecido por outra produção presente na Netflix "A Casa das Flores".

Destaques

O elenco da atração tem a presença de jovens atores, conhecidos de séries latinas do catálogo da plataforma de streaming, e traz como destaque a atriz Carmem Maura, presente em filmes de Pedro Almodóvar como: "Mulheres a beira de um ataque de nervos" e "Volver".

Uma das estrelas latinas em ascensão presente em "Alguém tem que morrer" é Ester Expósito da série espanhola "Elite".

Este é primeiro papel de destaque da atriz após sua saída da série, na terceira temporada. Expósito contracena na nova minissérie com seu namorado na vida real, Alejandro Speitzer, que ficou famoso em 2020 na série "Desejo Sombrio". Outro rosto conhecido por participação em série da Netflix é Carlos Cuevas, de "Merlí".

Também estão no elenco: Cecilia Suárez, de "A Casa das Flores", Juan Carlos Vellido, de "As Telefonistas", e Ernesto Alterio, de "Narcos: Mexico".

A trama

A história é ambientada em uma Espanha repressora na década de 1950, que estava sob o domínio franquista. Gabino (Alejandro Speitzer) é o filho único de uma família espanhola. Depois de dez anos vivendo no México, ele retorna para casa e entra em conflito com a família que quer que ele se case com Cayetana (Ester Expósito).

Mas Gabino não retornou ao lar sozinho, ele veio acompanhado de seu melhor amigo Lázaro (Isaac Hernández), um bailarino mexicano. Logo, começaram a surgir rumores de que os dois teriam um relacionamento homossexual.

Apesar de ambientada nos anos 1950, a minissérie fala sobre temas que ainda permanecem polêmicos nos dias atuais.

Além de falar sobre homofobia, a trama ainda fala sobre racismo e xenofobia, além de tocar de leve no tema violência contra a mulher.

Este último tema pode ser visto na trama no arco da personagem Mina Fálcon (Cecilia Suárez), a mãe de Gabino é casada com o truculento Gregorio Fálcon (Ernesto Alterio).

A dona de casa da alta sociedade espanhola então se vê aprisionada em um casamento de aparências, em que vive constantes atritos com sua sogra, Amparo Fálcon, a personagem de Carmen Maura. Amparo esconde um terrível segredo que somente Gabino e Mina conhecem.

Mina Fálcon se sente atraída por Lázaro, o jovem amigo mexicano do filho, e é correspondida pelo bailarino.

Ainda existem outras tramas na produção. Ainda que, de certa maneira todas as tramas se encaixem no clímax, o desenvolvimento de todos os arcos apresentados deixem a desejar.

Alejandro Speitzer mostra a mesma canastrice que já havia demonstrado em "Desejo Sombrio". De uma maneira geral, o elenco parece atuar no piloto automático em que poucos dos atores se destacam, talvez mais por causa de um roteiro fraco e a falta de um cuidado maior na direção.

A expectativa criada pelo título se concretiza, se alguém tinha que morrer, o público verá que morreram muitas pessoas em um final trágico e ao mesmo tempo decepcionante.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!