Na mesma quinta-feira (25) em que o Brasil atingiu 1.582 mortes por Covid-19, o número mais alto desde que a pandemia começou, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) mais uma vez questionou o uso de máscaras e também o isolamento social — ambas as medidas são comprovadas como eficazes e são recomendadas por autoridades da área sanitária para conter a disseminação da doença.

Como lastro em suas declarações, Bolsonaro citou um suposto estudo realizado na Alemanha, mas não deu mais detalhes de onde teria tirado as informações. Os dados mostrados por ele, que contrariam a ciência, foram citados em sua live semanal que acontece todas as quintas-feiras, onde costumeiramente o presidente da República divulga informações falsas sobre os mais variados temas.

O mandatário afirmou que as máscaras prejudicam as crianças, causando nelas irritabilidade e dor de cabeça, além de atrapalhar na concentração. O mandatário disse que não iria entrar em detalhes pois, de acordo com ele, "tudo deságua em crítica sobre mim", porém afirmou que tem sua própria “Opinião” sobre as máscaras. Por isso, ele não quis citar as fontes que pudessem sustentar seus argumentos.

O presidente continuou sua argumentação contra o equipamento de segurança dizendo que estão começando a aparecer os efeitos colaterais do uso de máscaras, disse ele depois de relatar uma série de problemas que supostamente o item de segurança causaria. Ele complementou suas críticas às máscaras dizendo que todos têm suas opiniões, mas que está aguardando um estudo sobre o tema realizado por pessoas competentes.

A verdade

Apesar das dúvidas do mandatário, o uso das máscaras é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para crianças com menos de 5 anos, de acordo com orientações que foram publicadas no mês de agosto de 2020. Já a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) não indica o uso do item de proteção para crianças abaixo dos 2 anos de idade, pois há o risco de sufocamento.

O uso das máscaras faciais é essencial principalmente em locais fechados, pois já há a comprovação de que a utilização do equipamento é essencial para o retardamento da contaminação em massa.

A OMS e a Unicef dividem as recomendações para as crianças em três faixas etárias, sendo que até os 5 anos de idade não se deve usar máscara e, dos 6 aos 11, os pais e responsáveis devem analisar os riscos para decidir pela necessidade.

Por exemplo, se a criança vai para a escola, deve-se usar a máscara a partir dos 12 anos.

As recomendações são as mesmas para os adultos – exceto as crianças em condições específicas, como algum tipo de deficiência do intelecto – também sendo responsabilidade dos familiares e das pessoas próximas analisarem o caso.

Isolamento social

Bolsonaro desde o início da pandemia foi contra o isolamento social, e na sua live semanal ele declarou que quem quer voltar a trabalhar, deve cobrar de prefeitos e governadores que “obrigaram” as pessoas a ficarem em casa.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!