Está cada vez mais explícita a relação promíscua que o atual Governo federal mantém com certos veículos de comunicação. O namoro entre veículos de comunicação e governos por si só não é nenhuma novidade, o fenômeno que talvez seja inédito é a maneira como essas relações entre a mídia e o atual governo estão sendo feitas, em que emissoras de televisão fazem propaganda do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), com comentaristas dos mais variados tipos, desde um veterano octogenário que já foi porta-voz da ditadura e que agora aparece diariamente defendo o presidente da República, não importa o que faça o mandatário.

Também se tem a figura de um jovem formado em direito que distorce a lei a seu bel prazer para dessa maneira tentar fazer malabarismos retóricos para justificar quaisquer atos do líder do Executivo. Ainda se pode citar o veterano jornalista que largou um emprego em uma das emissoras do maior grupo de comunicação do país para peregrinar por canais de TV bolsonaristas, sempre cercado de expoentes da extrema-direita e sempre sofrendo com a falta de audiência.

Rádio

A defesa incondicional do mito, como defendeu Olavo de Carvalho, também se encontra nas emissoras de rádio, em que não importa o nível de reacionarismo de seus comentaristas, eles sempre irão achar um cantinho para expor suas opiniões sectárias, suas inclinações machistas e misóginas, talvez na esperança de um dia também revelar uma possível admiração pelo fascismo ou pelo regime comandado por Adolf Hitler.

Ratinho

Se o apresentador Ratinho não pertence ao grupo dos ultrarradicais citados no parágrafo anterior (ainda bem), o funcionário de Silvio Santos, por outro lado, também não está se importando em aparentar ter uma relação com um certo distanciamento que sua função exige de políticos –pensando bem, porque o apresentador se importaria com isso, visto que seu próprio chefe tem comportamento similar.

Então o dono do SBT não deve ter visto nenhum problema quando Ratinho usou um espaço no programa que apresenta para defender o líder do Executivo e seu amigo Jair Bolsonaro. Ao defender o mandatário, Ratinho mandou um recado para os opositores de Bolsonaro, governadores e também para uma parte imprensa que crítica o desempenho do presidente na pandemia do novo coronavírus.

Ratinho declarou que vê uma luz no fim do túnel com o começo da campanha de vacinação. Nas palavras do apresentador, o presidente da República e o ministro da Saúde têm sido constantemente criticados pelos opositores e por uma parcela da imprensa que, segundo ele, não conseguem ver a importância do trabalho que tem sido feito. "É para perder a paciência", irritou-se Ratinho.

Números

Para sair em defesa do governo, Ratinho citou que são 350 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus que o governo federal já garantiu para 2021 e que o Ministério da Saúde já distribuiu mais de seis milhões de doses para os estados.

Porém, continuou Ratinho, lamentavelmente sempre tem uns “espertalhões” que não possuem senso de cidadania.

Sobre quem está furando a fila das vacinas, Ratinho disse que são “canalhas”, finalizando com um discurso tão desconexo quanto costumam ser as falas de seu amigo Jair Bolsonaro.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!