O Grêmio conta com uma categoria de base extremamente privilegiada. Recheada de bons jogadores, os meninos do Tricolor passam por todo um processo de lapidação para desenvolverem suas habilidades. Assim, o clube pode usufruir tecnicamente do atleta e ainda conquistar ganhos financeiros no futuro próximo.

Com isso, há um trabalho sustentável dentro das categorias de base do Grêmio, constantemente elogiadas por analistas e especialistas do meio Futebolístico. O resultado de anos anteriores mostra que não há coincidência na formação de novos atletas, mas sim constância no trabalho realizado.

Atacantes velozes e quebradores de linha no Grêmio

O Grêmio já tem um histórico de ótimos atacantes velozes, dribladores e finalizadores nos últimos anos. Começou com Pedro Rocha, em 2016, passou por Everton, em 2017, atualmente tem Pepê, desde 2019, e agora Ferreira é o dono da posição em 2021. Todos com características similares, atuando pelo lado esquerdo e garantindo resultados no profissional.

Para o futuro, a qualidade não cai, e o Grêmio já observa com atenção nomes de qualidade que começam a surgir na base. É o caso de Guilherme Azevedo, que, diferentemente de seus antecessores, atua na faixa direita de ataque. Agudo, veloz e um exímio quebrador de linhas, Gui Azevedo vinha se destacando até ser acometido com uma lesão na coxa, no jogo contra o São José, pelo Gauchão.

Mas os bons pontas não param por aí! Além de Gui, Léo Pereira, Elias Manoel, Thayllon e o próprio Léo Chú (que voltou de empréstimo junto ao Ceará) mostram características similares que aliam a velocidade, o drible agudo e o poder de finalização. O Grêmio aparenta ter uma forma para moldar pontas velozes, seja pelo lado direito, seja pelo lado esquerdo.

Grêmio e sua fábrica de volantes

Além do molde para pontas agudos, o Grêmio ainda parece ter uma fábrica de ótimos volantes em curso. Em 2016, Walace começou todo o processo, passando bastão para Arthur e, logo em seguida, para o atual dono da posição, Matheus Henrique. Com características parecidas, sobretudo os dois últimos, o Grêmio não só revela volantes de alta qualidade, mas sim meio-campistas capazes de controlar e dominar a região do campo onde atuam.

Já consolidado, o Grêmio tem o bom Darlan Mendes, que alia passes curtos e lançamentos que proporcionam abrir o jogo para a equipe. Além de Darlan, Fernando Henrique é o que mais mostra potencial. Embora Victor Bobsin e Lucas Araújo sejam nomes de grande qualidade, é Fernando Henrique que tem encantado nas partidas do Gauchão.

O jovem volante de apenas 19 anos tem um bom porte físico e alta capacidade de passes verticais, capazes de acionar os pontas em velocidade. Nos jogos do Gauchão, apesar de ter entrado apenas nos minutos finais da partida, tem apresentado toda essa qualidade que o credita a uma futura titularidade no Grêmio.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Grêmio
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!