Publicidade
Publicidade

Este sábado (4) foi bem movimentado no Big Brother Brasil. Por causa da festa dessa sexta-feira (3) e da bebedeira de Emilly, os brothers tiveram assunto para o dia todo. Como todos já sabem, a estudante acabou exagerando nos drinks e passou muito mal durante a madrugada. Vários brothers, vendo o estado vexatório que a moça se encontrava, tentaram a ajudá-la a se recuperar.

Um dos momentos mais críticos foi quando Marcos viu que ela estava desacordada e disse aos amigos de confinamento que Emilly estava em “coma alcoólico profundo”.

Publicidade

O doutor ficou assustado com o estado da namorada e pediu, urgentemente, atendimento médico à produção.

A partir desse momento, não foi mostrado mais nada sobre a embriaguez da sister. Alguns minutos depois, as câmeras já a mostraram deitada em sua cama e, aparentemente, bem melhor que do antes.

Depois que acordou, além da ressaca pós-bebedeira, Emilly também teve que aguentar os sermões dos amigos. Vários deles consideraram o comportamento dela como egoísta e infantil. Por causa desses comentários, a estudante se viu a maior parte do tempo isolada dos outros brothers.

Mas esse não foi o único assunto da casa neste sábado. Durante um happy hour reservado a alguns participantes, Marinalva acabou tocando em um assunto, até então, pouco falado pela mídia. A paratleta criticou o fato do cantor Roberto Carlos não assumir publicamente sua deficiência física. "Eu não entendo como uma pessoa como Roberto Carlos não se assume", disse a paratleta. Marinalva também comentou que o cantor recusou fazer a abertura das Paraolimpíadas 2016. Ela disse que a participação dele seria muito importante para dar maior visibilidade aos deficientes físicos.

Publicidade
Os melhores vídeos do dia

Para quem não sabe, Roberto Carlos perdeu parte da perna direita ao ser atropelado por um trem. O acidente aconteceu quando ele ainda era criança e se desequilibrou da plataforma quando o trem passava. Em uma rara entrevista falando sobre o caso, o cantor disse que precisou usar muletas até os 15 anos de idade, quando recebeu sua primeira prótese.