Um vídeo que vem circulando nas redes sociais está deixando os brasileiros indignados, isso porque durante a gravação, dois homens aparecem fazendo diversos comentários xenofóbicos contra pessoas nascidas no Norte e Nordeste do Brasil. O vídeo foi publicado no dia 30 de dezembro e os autores foram identificados algumas horas depois.

Um deles foi identificado como sendo Lucas Paolinelli Campos, sócio proprietário de uma empresa no ramo de pedras preciosas. Já o outro envolvido é Vinicius Silveira Raposo, servidor do Instituto Federal (IFMG), além de aluno de doutorado na Universidade Federal do Estado.

Publicidade

Durante o vídeo, Lucas diz que com a vitória do novo presidente Jair Bolsonaro, os nordestinos serão excluídos. E declara em tom de chacota que o próprio presidente havia acabado de lhe enviar uma mensagem dizendo que agora é "faca na caveira".

Logo em seguida aos comentários de Lucas, Vinicius Silveira também faz comentários maldosos contra os nordestinos. Para o médico veterinário, os nordestinos têm que parar de gastar o dinheiro, que segundo ele o Sudeste produz.

O Instituto Federal (IFMG), onde Vinicius trabalha, decidiu publicar uma nota nesta última quinta-feira (10) onde diz não compactuar com o ato de seu funcionário.

A empresa alega também estar tomando as devidas providências sobre o ocorrido.

Já a empresa onde Lucas é sócio proprietário, não se pronunciou sobre o ocorrido e teve seu perfil do Instagram “trancado”.

Lucas e Vinicius excluíram suas redes sociais depois de terem sido identificados.

Carta de desculpas

Após a grande repercussão e polêmica causada pelo vídeo, os autores das imagens decidiram se desculpar. Lucas e Vinicius divulgaram então uma carta, onde relatam que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto feita entre amigos.

Publicidade

Os dois alegam também que tal ato não faz parte de suas condutas diárias.

Ainda durante a carta, os dois alegam não terem tido a intenção de discriminar ou agredir qualquer tipo ou grupo de pessoas, e explicam que tudo não passou de uma brincadeira privada durante uma roda de amigos. Brincadeira essa que eles reconhecem ter sido de péssimo gosto.

Os dois terminam pedindo sinceras desculpas a todas as pessoas que se sentiram atingidas pelo conteúdo publicado. E relatam que tal assunto não deve ser motivo de brincadeiras, mesmo que internamente. A carta foi publicada em 10 de janeiro de 2019.

Empresa Dragão

Depois que o vídeo viralizou e gerou polêmica nas redes sociais, algumas pessoas ligaram um dos autores a uma empresa de produtos químicos chamada Dragão. Empresa essa que logo divulgou uma nota negando todo tipo de envolvimento com os autores do vídeo. A Dragão alega ter origem nordestina com muito orgulho, e diz que seu envolvimento com a brincadeira não passou de uma notícia falsa.