Na última quarta-feira (19), a diretora da escola Emydgio de Barros, localizada na zona oeste de São Paulo, foi afastada do seu cargo. As informações foram fornecidas por Rosseli Soares, o atual secretário estadual de educação.

De acordo com o site G1, o motivo para o afastamento da diretora está ligado ao fato de que dois alunos da instituição educacional citada aparecerem em um vídeo sendo agredidos por policiais militares. Na ocasião, os PMs estavam dentro da escola. O fato ocorreu ainda durante a noite da última terça-feira (18), e os policiais já foram afastados do cargo.

Segundo o secretário de educação, a primeira questão a ser avaliada pela diretora seria a necessidade de chamar a Polícia para resolver o que estava acontecendo.

De acordo com Rosseli Soares, a Secretaria de Educação está apurando os fatos e considerando todas as possibilidades, além de estar tentando estabelecer um diálogo com a própria Escola.

Ainda comentando sobre o caso, Soares destacou que para quem olha a situação de fora, o caso não precisava da intervenção da PM e poderia ter sido resolvido internamente pela diretora da instituição de ensino citada.

Número de funcionários abaixo do esperado

Atualmente, a escola Emydgio de Barros conta apenas com dois inspetores de alunos. Entretanto, de acordo com as regras estabelecidas pela própria Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o número deveria ser de 11 inspetores. Tais servidores possuem funções como retirar os alunos da sala de aula quando essa ocasião se apresenta, por exemplo.

Apesar do número baixo, Rosseli Soares fez questão de destacar que o número de funcionários não pode ser vinculado ao problema ocorrido na escola em questão. De acordo com ele, cerca de 3,7 mil novos funcionários foram contratados para atender a rede pública de educação apenas em 2019.

Além disso, o secretário ainda destacou que existem atualmente 1,5 mil funcionários concursados atualmente no estado e existe uma alta rotatividade nesse sentido.

Contudo, ele fez questão de destacar que os números não devem ser o ponto central do debate sobre o que aconteceu na Emydgio de Barros.

Ainda comentando o ocorrido, Soares fez questão de destacar que, de fato, existem alguns casos em que a intervenção policial se faz necessária pra que a situação seja contida.

Contudo, ainda não se pode determinar se nesse caso específico isso foi realmente uma necessidade. De acordo com ele, ainda não é possível também afirmar que os jovens envolvidos na situação estavam agindo de maneira correta.

Por fim, Rosseli Soares opinião que toda a situação se parece com uma sucessão de erros de todas as partes envolvidas.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Escola
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!