Em meio à pandemia causada pelo coronavírus, um clima de medo e tensão tem se espalhado na sociedade. De acordo com a revista Caras, na última segunda-feira (23), William Bonner resolveu começar a edição do "Jornal Nacional" pedindo calma aos telespectadores. O apresentador quebrou o protocolo do programa ao falar sobre o coronavírus antes de anunciar as notícias iriam ao ar. Bonner ressaltou que no momento, os telespectadores estariam recebendo informações sobre o vírus de todos os lados, e que seria imprescindível pedir calma a todos neste momento.

O editor-chefe do "JN" disse ainda que a crise enfrentaria altos e baixos, e as pessoas precisariam entender que todos precisarão se sacrificar. A fim de minimizar a tensão, o apresentador afirmou que o Brasil e o mundo irão superar o coronavírus, apesar da dor que muitas famílias estão enfrentando.

Bonner faz desabafo

Ainda de acordo com a revista Caras, William Bonner falou sobre os profissionais que continuam trabalhando a fim de levar informação à sociedade, para que as pessoas saibam como lidar e se proteger do vírus.

"E claro que a gente também tem medo de adoecer, aqui não tem super-herói, nem entre nós nem entre colegas de outras categorias", desabafou Bonner. A apresentadora Renata Vasconcellos também fez apontamentos sobre os profissionais que não podiam se afastar do trabalho: "Isso vale para os profissionais de Saúde, mas também para quem recolhe o lixo nas ruas, os policias, para quem faz manutenção das redes elétricas e muitos outros".

Ainda durante a pausa, Bonner falou sobre os profissionais da imprensa e admitiu ter medo de ser infectado, mas que isto faria parte da profissão. Para finalizar, os jornalistas agradeceram ao público e deram uma mensagem de otimismo, afirmando que juntos iremos derrotar o vírus.

Casos de coronavírus no Brasil

De acordo com o site G1, até o momento, as secretarias estaduais de Saúde divulgaram 2.197 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 46 mortos, sendo 6 no Rio de Janeiro e 40 em São Paulo.

No último domingo (22), o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória que previa a suspensão dos contratos de trabalho por 4 meses. Porém, após o trecho ser alvo de críticas por parte de políticos, partidos e entidades, Bolsonaro revogou o mesmo na última segunda-feira (23). Segundo a universidade Johns Hopkings, até o momento, cerca de 16,5 mil pessoas já morreram devido ao novo coronavírus por todo o mundo, e cerca de 382 mil teriam se infectado. Um porta-voz da OMS (Organização Mundial de Saúde), afirmou que de acordo com aceleramento de casos nos EUA, rapidamente o país se transformará no epicentro do surto.

Não perca a nossa página no Facebook!