O "Fantástico", da Rede Globo, exibiu uma matéria no primeiro domingo de março, onde Drauzio Varella mostrou a vida de mulheres trans no cárcere. Em uma reportagem sensível, o médico entrevistou algumas detentas que contaram um pouco de suas histórias, bem como a detenta Suzy. Esta história em especial chamou a atenção do público. Suzy Oliveira contou a Drauzio que estaria há pelo menos 8 anos sem receber visitas na prisão.

Sensibilizado, o médico deu um afetuoso abraço em Suzy e a atitude emocionou a alguns telespectadores, que destacaram a empatia e humanidade do profissional. De acordo com a revista IstoÉ, uma informação veio à tona no último domingo (8).

Suzy Oliveira, que possui nome de batismo Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, teria cometido um crime contra uma criança.

A informação gerou revolta nas redes sociais, fazendo com que Drauzio Varella emitisse uma nota a fim de prestar alguns esclarecimentos.

Suzy teria cometido abuso e homicídio, diz site

Segundo a revista IstoÉ, Suzy Oliveira, mencionada no processo como Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, teria violentado e assassinado uma criança de 9 anos em maio de 2010. A criança seria Fábio dos Santos Lemos. As informações foram confirmadas pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).

A revelação sobre o crime praticado revoltou parte dos internautas, que anteriormente haviam se sensibilizado com a história de Suzy. A detenta chegou a receber cartas e presentes na prisão após a divulgação da reportagem.

De acordo com a coluna de Hugo Gloss, segundo o processo, Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, que possui nome social Suzy de Oliveira, teria deixado o corpo da criança na sala de sua própria casa pelo período de dois dias.

Após o período, teria relatado ao pai da vítima que havia encontrado um corpo na porta de sua residência. Em depoimento concedido à Justiça, uma tia de Suzy revelou que a sobrinha sempre foi uma criança problemática.

A testemunha afirmou que Suzy mentia roubava e não ia para a escola, e que, posteriormente, aos 12 anos, passou a praticar roubos à mão armada. A SAP confirmou que a detenta cumpre pena por homicídio triplamente qualificado e abuso de vulnerável.

Drauzio se manifesta após polêmica

De acordo com o site G1, após a polêmica gerada após a divulgação do crime cometido por Suzy, Drauzio Varella usou as redes sociais para emitir um comunicado.

O médico afirmou que em 30 anos atendendo detentos e detentas em presídios, jamais teria procurado saber sobre seus delitos para que sua opinião pessoal não fosse um obstáculo no atendimento. Drauzio revelou que durante seu trabalho na Televisão não foi diferente e fez questão de ressaltar: "Sou médico, não juiz", disse.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!