Felipe Prior foi o último participante a deixar o Big Brother Brasil 20. O engenheiro foi apontado como um dos protagonistas do reality, e teve uma árdua disputa pela permanência no programa ao lado de Manu Gavassi, que acabou levando a melhor. O paredão entre Prior e Manu contou com mais de R$ 1,5 bilhão de votos. De acordo com a revista Marie Clarie, após a saída do engenheiro, graves acusações vieram à tona. A equipe da revista teria tido acesso à um documento que acusava Prior formalmente por ter abusado sexualmente de mulheres durante os anos de 2014 e 2018. Os supostos abusos teriam ocorrido durante diferentes edições dos jogos universitários InterFAU.

A reportagem da revista Marie Claire conversou com as supostas vítimas e com suas advogadas, que confirmaram a existência da violência sexual. Através das redes sociais, Felipe Prior se declarou inocente e afirmou estar chateado com as acusações.

Advogadas das denunciantes se manifesta

De acordo com o site UOL, Maira Pinheiro, advogada das supostas vítimas de Prior, se manifestou na última sexta-feira (3). Maira afirmou que durante as investigações sobre Prior, membros de entidades estudantis relataram outros supostos casos de abuso sexual envolvendo estudantes de outras universidades. A advogada afirmou, ainda, que as vítimas estariam com o emocional bastante abalado, e que sua maior preocupação seria protegê-las, bem como todas as 11 testemunhas ouvidas.

Sobre as especulações sobre o tempo que levou para que as mulheres fizessem a denúncia, Pinheiro afirmou: "O único limite temporal para denunciar é o estabelecido por lei, de 16 anos".

Após Felipe Prior afirmar ser inocente e deixar subentendido que as denúncias só foram realizadas pela sua visibilidade após o BBB20, Maira Pinheiro se manifestou. A advogada afirmou que as supostas vítimas não se beneficiariam em nada reportando a violência, pelo contrário, poderiam ficar estigmatizadas pela sociedade: "Ela vai ser vitimada para o resto da vida.

Além do mais, nenhuma das vítimas se identificou, e esperamos que permaneça assim", disse. Tudo começou quando Maira Pinheiro e uma colega de trabalham tomaram conhecimento de um post no Twitter afirmando que Prior teria fama de assediador.

Prior será investigado por MP

Segundo a advogada Maira Pinheiro, segundo informações da imprensa, o Ministério Público teria instaurado um inquérito para investigar as denúncias.

Pinheiro ressaltou que os supostos crimes teriam ocorrido em cidades distintas portanto, não teria a certeza se o MP instauraria um ou mais inquéritos. A advogada afirmou que toda a investigação se trataria de um longo processo até alcançar seu desfecho.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!