A modelo e atriz Ísis de Oliveira, por estar no grupo de risco, não sai de casa desde a instituição do período de isolamento social para o combate ao novo coronavírus. Mas segundo ela, o seu marido, o egípcio Hazen Roshdi, faz exatamente o contrário. Sai de casa constantemente e, quando retorna, a agride a tal ponto que ela teme pela própria morte. Depois de uma nova crise, na noite de quarta-feira (22), Ísis prestou queixa na 12ª DP [VIDEO], em Copacabana, Rio de Janeiro, contando detalhes de como teria sido agredida.

Ísis de Oliveira contou que vinha sendo agredida há muito tempo. Em 2017, Hazen teria dado um empurrão na atriz.

A agressão teria rendido um ferimento no rosto. Mas, após pedido de desculpas e juras de amor, Luíza afirma ter perdoado e retornado ao convívio com o egípcio.

Mas as agressões não teriam terminado. Na última foi na quarta-feira (22), Ísis contou em depoimento que o marido chegou em casa depois de cerca de quatro horas fora. Do nada, ele começou a agir de modo agressivo. Chutou ventilador, computador e ameaçou a botar fogo na residência e rasgar o rosto da atriz.

Artifício de Ísis de Oliveira ajuda a polícia

A atriz afirma que, naquele momento, sentiu medo de morrer. Para escapar de uma nova agressão, Ísis de Oliveira teve uma ideia. E contou com a ajuda da modelo e amiga Luíza Brunet. Para evitar que Hazen suspeitasse de algo, Ísis enviou uma mensagem de SOS para o telefone de Luíza, que chamou a Polícia.

Mas ela teria que superar outra dificuldade. Os policiais chegaram na recepção do prédio em que mora e tinham que ligar pelo interfone. Foi aí que ela teve outra ideia. Atendeu a ligação da portaria, mas antes, disse que se tratava de um pedido de medicamento feito a uma farmácia e que seria entregue naquele momento.

Os policiais subiram e entraram na residência.

Ao tomar conhecimento dos fatos, os agentes a orientaram a prestar queixa do marido na delegacia. Como o marido é reincidente, a atriz recebeu uma medida protetiva.

Os agentes também acompanharam Ísis de volta para o apartamento e monitoraram a saída do marido, que também levou seus pertences. Mas apesar da ação policial, a atriz ainda não se sente segura.

Quarentena e violência doméstica

A insegurança dela se deve ao fato de que, em uma outra ocasião, segundo ela, mesmo protegida pela lei, o marido conseguiu passar pela portaria e subir até o apartamento dela. Hazen chegou a ser procurado pela imprensa, mas não foi encontrado. Ela relata outras ocasiões em que teria sido agredida por Hazen. Segundo ela, já chegou a acordar com ele socando suas costas.

Ísis de Oliveira tem hoje 69 anos. Está em quarentena e não sai de casa para nada. Para ela, a crise conjugal se deve ao longo período de convivência. Seu casamento com Hazen já dura seis anos. Apesar de tudo, ela faz questão de divulgar os fatos para alertar a outras mulheres quanto ao problema da violência doméstica.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!