Mais uma vez o especial de Natal do grupo humorístico Porta dos Fundos "A Primeira Tentação de Cristo" volta a ser comentado pela mídia.

A produção é uma parceria entre o bem-sucedido canal de humor no YouTube e a gigante do streaming Netflix.

O especial natalino da trupe do Porta dos Fundos foi ao ar em dezembro de 2019 e causou muita polêmica por mostrar um Jesus Cristo homossexual e usuário de drogas ilícitas.

A atração causou revolta no público mais conservador e foi alvo de várias críticas e processos por grupos religiosos (no meio do caminho, a sede do grupo de humor, localizada em Botafogo no Rio de Janeiro, foi alvo de um atentado terrorista).

Vitória na Justiça

Agora um dos que entraram na Justiça contra o especial de Natal do grupo, o babalorixá Alexandre Montecerrath conseguiu a primeira vitória contra o grupo dos humoristas Fábio Porchat e Gregório Duvivier e a plataforma de streaming por exibirem "A Primeira Tentação de Cristo".

Rosana Simen Rangel, juíza da 26ª Vara Cível do Rio, determinou que fosse isentada das custas processuais de umbanda Ilê Asé Ofá de Prata favorecendo seu representante. O processo contra a Netflix é de R$ 1 bilhão.

O advogado Anselmo Ferreira Melo Costa explicou que a cifra bilionária foi baseada no número de entidades de todo o Brasil e caso vença o processo, a quantia será distribuída entre instituições religiosas necessitadas.

O pai de santo declarou que para os assinantes da Netflix que são religiosos, o especial de Natal mostrou um enredo sem o menor respeito.

Ele continuou dizendo que a atração conta uma história sobre Jesus que foi totalmente adulterada perante todas as religiões que cultuam o Cristo.

Ele reclamou ainda sobre a "roupagem sexual" que o Jesus Cristo interpretado por Gregório Duvivier mostrou, além de palavras de baixo calão, apologia às drogas, entre outras coisas que foram entendidas pelo pai de santo como deboche com a fé alheia.

Mais polêmica

Assim como o especial de Natal de Roberto Carlos na Rede Globo, o especial de Natal do Porta dos Fundos já faz parte da cultura brasileira. O que é um desprazer para parte do público conservador e para grupos religiosos que sempre se incomodam com o tradicional especial de Natal do Porta dos Fundos. Já está confirmado que os humoristas irão produzir mais um programa natalino.

A novidade agora é que a Netflix não estará no projeto. O programa será exibido no próprio canal dos humoristas no YouTube.

Ainda em 2019, vários grupos entraram na Justiça contra a Netflix e o Porta dos Fundos, sendo que nenhuma das ações obtiveram sucesso. O processo movido pelo pai de santo Alexandre Montecerrath porém, teve sua primeira vitória agora.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!