Um dos bens mais preciosos do ser humano é poder usufruir de uma boa saúde. Entretanto, em muitas ocasiões os indivíduos são portadores ou ficam acometidos por certos tipos de doenças, as quais nem imaginam possuir. Geralmente, exemplo clássico dessa situação são as DSTs ou #Doenças sexualmente transmissíveis, até mesmo porque, em função de uma questão cultural, a população em geral quase nunca acredita que algo tão sério assim, que pode implicar em uma questão de vida ou morte, possa se abater sobre ela. Enfim, sempre as “outras pessoas” é que têm a chance de adquirir as doenças mais graves ou não tão graves assim. Na sociedade atual, em que o comportamento sexual se torna cada vez mais “inconsequente” e um grande número de indivíduos sexualmente ativos não utiliza proteção, definitivamente qualquer um está sujeito a manifestar uma #DST, independente de quem seja a pessoa, origem social, cor, entre outros fatores.

Publicidade
Publicidade

A medicina já atestou que a utilização de preservativos se torna um ponto de sucesso na manutenção da saúde, uma vez que há pessoas que nem sequer imaginam possuir e estar transmitindo uma DST. Na seqüência são descritos determinados tipos de sintomas, que podem fornecer indícios do indivíduo portar uma doença desta espécie. Na grande maioria das vezes os sintomas ou “pistas” podem ser bastante sutis, alertando para as infecções como um todo e alguns tipos de DST. Os indícios de problemas vão desde simples coceiras, a corrimentos e o aparecimento de formações conhecidas como verrugas.

Se por acaso um ou mais de tais sintomas vier a surgir e, principalmente, persistir no tempo de acometimento, a pessoa deve buscar rapidamente um médico especializado, até mesmo porque as DSTs, sejam elas causadas por protozoários ou bactérias, que são as passíveis de cura, mas que se não forem diagnosticadas e tratadas a contento, elevam em até 18 vezes as probabilidades de se contrair o vírus do HIV (Aids) ou de outras complicações que se agravam como o passar do tempo, tais como: infertilidade, doença inflamatória da pélvis e cânceres, que podem matar.

Publicidade

#Medicina

Fique sabendo de 5 sinais que podem representar uma DST

  • Verrugas: formações verrugosas nas zonas erógenas e partes íntimas devem ser investigadas por um profissional médico rapidamente, uma vez que podem ser pistas indicando que o indivíduo está sofrendo de HPV, tanto nas verrugas internas quanto externas, o que se não for tratado, com o passar do tempo pode originar o temido câncer de colo do útero.
  • Secreção e corrimento: no público feminino não é incomum se ter a produção de secreções inodoras e translúcidas no período que antecede a menstruação, mas se o quadro tem continuidade, algo pode estar errado, ou ainda, se a mulher apresenta corrimentos de tonalidades esverdeadas, amareladas, brancas e rosadas em quantidade abundante, quase sempre é uma DST. A gonorreia é uma das patologias mais comuns.
  • Cheiro forte: um outro alerta quanto as DSTs são os fortes odores nas zonas íntimas e que não são habituais em um organismo sadio; sendo que os médicos explicam que o odor desagradável é proveniente da multiplicação de bactérias causadoras de infecções. O quadro é ainda mais urgente se o odor vier com ardências, tecido irritado e pus.
  • Coceira: a ação de se coçar não identifica por si só uma DST; todavia, o sintoma pode ter alguma correlação com infecções oportunistas provocadas por fungos, fazendo com que as coceiras necessitem ser acompanhadas para se evitar casos de candidíase ou manifestação de “chato”, um parente próximo do piolho que costuma se instalar na área pubiana.
  • Dor durante as relações sexuais: obviamente que ter dores absurdas durante o ato sexual não é um indício favorável ou ainda, sintomas de incômodos em geral e ardência apontam a probabilidade de haver feridas nas regiões internas da genitália, o que normalmente tem como causa raiz uma DST ou também uma infecção.