Em uma virada inesperada, Londres se tornou o principal centro financeiro do mundo, superando Nova York, de acordo com o índice do Z/Yen Group.

Isso se dá devido à conquista eleitoral avassaladora do 1.º ministro David Cameron em maio deste ano, que serviu como alicerce a realização. Segundo o site Infomoney, a Grã-bretanha conseguiu se distanciar 8 pontos de vantagem em relação a Nova York conforme dados da empresa de pesquisa Global Financial Centre Index. Os 3.º, 4.º e 5.º lugares foram preenchidos respectivamente por Hong Kong, Cingapura e Tóquio. A única outra cidade da #Europa que ficou na listagem das 10 cidades européias de economia mais importante foi Zurique na Suíça, ocupando a 7ª posição.

Publicidade
Publicidade

O 1.º Ministro Britânico Cameron com seu partido conservador acabou ganhando de forma inusitada as eleições de 07/05/2015, estabelecendo a maioria de seus parlamentares no poder. Fato este que foi muito mais do que bem recebido pelos mercados financeiros e de bolsas de valores em geral em todo o mundo, tanto que a libra e as ações só cresceram em função dos resultados políticos que impediram a divisão do poder na Grã-Bretanha.

A Global Financial Centre no seu relatório abordou que "Londres e Nova York são muitas vezes tão complementos uma da outra e ao mesmo tempo fortes concorrentes” e isto se dá muito pela origem comum de ambas as cidades no livre comércio desempenhado ao longo da história pelos ingleses e posteriormente com o aperfeiçoamento da prática capitalista no bolsão financeiro dos EUA, que é Nova York.

Publicidade

Chris Cummings, que é o presidente em exercício da associação industrial financeira do Reino Unido, chamada de TheCityUK, disse que o que  "atrai a atenção para que as notas de Londres estejam sendo mais altas a partir das  eleições na Inglaterra em 05/2015 é que de fato, a cidade supera de modo concreto todas as suas concorrentes; porém, esse contexto não pode fazer com que os britânicos deixem de se concentrar no relacionamento em geral com a inteira política mundial e agora, principalmente, com a União Européia”.

Ainda é muito cedo para se prever mais resultados do que irá acontecer nos próximos meses com esta vitória londrina economicamente falando, mas é certo que a Ilha dos bretões tende a aproximação com o restante dos seus irmãos europeus a passos mais rápidos até mesmo em função da crise migratória mundial.

Se irá fazer parte da União Européia, esta é uma outra especulação que carece de resposta, mas tudo indica que ainda por muito tempo os ingleses repetirão os versos do seu hino nacional, que diz: “Deus salve nossa bondosa Rainha, longa vida à nossa nobre Rainha, Deus salve a Rainha; que a faça vitoriosa, feliz e gloriosa, que tenha um longo reinado sobre nós, Deus salve a Rainha”. #Governo #União Europeia