Quem já não ouviu falar de São Francisco de Assis? Os relatos antigos narram que Francisco abandonou a sua vida de riqueza, os negócios do seu pai, vestiu-se de uma túnica de algodão e saiu pelo mundo, pregando o amor de Jesus Cristo, estando sempre rodeado de muitos animais e pássaros, o que o tornou um ser humano amante de todas as formas de vida.

Porém, São Francisco não foi o único que se tornou um apaixonado inveterado por criaturinhas indefesas, animais de estimação e outras formas de vida. Hoje mesmo, existem milhares de exemplos em pessoas e protetores de animais das mais diferentes origens e formações, que nasceram para se doar e fazer sacrifícios para socorrer os animais.

Publicidade
Publicidade

E por incrível que pareça, é da Grécia, que atravessa um profundo momento de crise econômica, que surge a história do dentista, Theoklitos Proestakis, que abandonou a sua rentável profissão para cuidar dos #Cães abandonados do país, ou seja, mais um São Francisco contemporâneo.

Assim como Francisco, o “santo” italiano protetor dos animaizinhos, o grego Theoklitos, ou Takis, como também é comumente chamado, acredita que os bichos são os “irmãos gatos, irmãos cachorros, irmão pássaros”. Enfim, cada ser vivo é uma manifestação clara da bondade divina e, deste modo, ter o dom de amar um animal é também poder amar a criação de Deus e o próprio Deus.

ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO PELOS ANIMAIS:

A Grécia vive o maior momento de precariedade financeira depois da 2ª Guerra Mundial e muitas famílias se viram “forçadas” a simplesmente deixar os seus animais de estimação ao relento, já que não tinham mais dinheiro e meios para alimentá-los e levá-los aos veterinários.

Publicidade

Deste modo, Proestakis, o dentista grego, disse a um jornal inglês: “um dia qualquer me dirigi a um lixão e vi terríveis coisas. Vi cães com a perna partida, feridos e machucados, os quais necessitavam urgentemente de comida e água, onde comecei a tratá-los e levar a eles o que necessitavam”. 

Diante deste quadro de desesperança, que se resume no aumento dos cães largados nas ruas, Theoklitos Proestakis não pensou duas vezes e largou a profissão, criando um abrigo para cães e por cerca de já 3 anos, o grego salvou 200 cães que teriam morrido de inanição ou por alguma doença qualquer. 

Por outro lado, os vizinhos começaram a reclamar dos cachorros que estavam ficando fortes e saudáveis e também pela quantidade de animais resgatados que vinha crescendo. Tudo isto levou Takis a abandonar a sua carreira promissora, vendeu o carro e pediu dinheiro emprestado, pois a cada mês o dentista grego paga aproximadamente 1.300 euros com os alimentos dos bichos e 700 euros de custos veterinários com os cães do seu abrigo.

Quantos mais Takis serão necessários para se acabar com o problema de sofrimento e morte de criaturas indefesas?  #Europa #Blasting News Brasil