Uma história inacreditável chocou os brasileiros e a imprensa internacional nesta semana. Uma mulher foi assassinada dentro de uma igreja evangélica, localizada na cidade de Plokwane, na África do Sul, após ser esmagada por uma caixa de som sobre seu corpo. O crime aconteceu na Assembleia Geral do Monte Sião, igreja conhecida da #Religião, e o culto celebrado pelo pastor Lethebo Rabalango.

Na ocasião, ele pediu que a vítima deitasse no chão para presenciar um "milagre" que aconteceria em sua vida. Contudo, nada saiu como o esperado. O líder evangélico decidiu provar o "poder de Deus" para a fiel e colocou uma pesada caixa de som em cima de seu corpo.

Publicidade
Publicidade

Logo depois, decidiu sentar-se em cima dela. A ideia era testar a dor da seguidora da religião. Caso ela sentisse machucar, ela não teria fé. Se não sentisse doer, seria uma pessoa temente a Deus.

Enquanto a vítima, claramente fraca e muito mais magra do que o pastor que teve a ideia, ficou deitada suportando as dores da caixa de som sobre seu corpo, ele deu prosseguimento ao culto. Quando deu por si, Lethebo percebeu que a mulher não estava reagindo mais e constatou que ela havia morrido. De acordo com diversos sites de notícia que relataram o ocorrido, o líder evangélico ficou despreocupado com o que tinha acabado de fazer e disse para quem estava no culto que a culpa era da própria vítima, que "não teve fé" para resistir a "algo simples" como uma caixa de som sobre seu corpo.

Pela internet, muitas pessoas ficaram revoltadas com o caso.

Publicidade

Pelo Facebook, internautas estão protestando e pedindo prisão imediata do pastor. Uma mulher, por exemplo, escreveu em uma página de notícias que Lethebo é ladrão e merece ir para a cadeia.

"É um absurdo isso!!! Onde já se viu você ir para a igreja e parar no cemitério??? Prendam esse pastor assassino ladrão", disse.

Morte lenta e dolorosa 

Segundo jornalistas, a mulher que morreu teve diversas fraturas ósseas e até mesmo nos pulmões. As imagens estão circulando pela internet e pelas redes sociais, como no próprio Facebook do pastor que matou a fiel.

Sobre ser apontado como um assassino, Lethebo discordou e culpou a imprensa, dizendo que "a mídia é a arma do diabo".

Até o fechamento desta reportagem, não foi confirmada a prisão do pastor. De acordo com o site Metrópoles, a Comissão para os Direitos Culturais, Religiosos e Linguísticos da África do Sul e a polícia local estão investigando o caso. #Crime #Investigação Criminal