O #INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) está realmente empenhado em fazer um “pente fino” nos segurados que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez, pois está previsto para ser iniciado nesse mês (agosto), uma revisão geral, nos segurados que são beneficiários do INSS. Segundo o jornal “Folha de São Paulo”, os peritos do INSS terão permissão até de vasculhar os perfis do segurado em redes sociais, como o Facebook, para se certificar de que o segurado não possui realmente condições físicas que o impeçam de retornar ao trabalho.

De acordo com informações de um dos médicos que participaram das novas definições do INSS, a nova forma de fazer perícia médica, vai além de um simples exame médico como acontecia antigamente.

Publicidade
Publicidade

Agora, a forma de periciar o segurado envolve uma análise minuciosa, e que abrange outros aspectos, visando entender a real situação do segurado. A nova forma de periciar passou a ser padrão no INSS.

Advocacia Geral da União já apresenta publicações do Facebook como provas em processos judiciais

A AGU (Advocacia Geral da União) é o representante oficial do INSS em causas judiciais. E já fez uso de publicações de uma mulher segurada do INSS, residente na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo, para comprovar que a segurada tinha perfeitas condições de trabalhar. O caso da mulher apresentado ao INSS era de “depressão grave” e chegou a receber o benefício através de ganho de uma causa administrativa. Porém, após a apresentação de publicações da segurada no Facebook que “estava feliz e animada” e que o “seu ano estava sendo maravilhoso” perdeu definitivamente seu benefício.

Publicidade

Nos próximos dias, deverá sair a publicação de uma portaria interministerial para ser dado início ao “pente fino”. A intenção do presidente interino Michel Temer é que seja feita uma diminuição de 30%, dos 840 mil benefícios concedidos por um período maior que dois anos, e as aposentadorias por invalidez mais antigas. Temer quer economizar, com essa nova medida, cerca de R$ 6.340 bilhões por ano.  #Auxílio Doença #Michel Temer