Na tarde desta segunda-feira (21), o jornal Folha de S.Paulo publicou uma reportagem que pode ser crucial e que poderá corroborar a versão apresentada pelo senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no polêmico caso envolvendo os 48 depósitos de R$ 2 mil feito na conta bancária do filho do presidente Jair Bolsonaro nos meses de junho e julho de 2017 e divulgados em toda a mídia pelo Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras).

Segundo a Folha, o ex-atleta Fábio Guerra confirmou que pagou em dinheiro vivo cerca de R$ 100 mil a Flávio Bolsonaro no intuito de quitar uma dívida referente à compra de um imóvel situada na zona sul do Rio de Janeiro. Os valores foram repassados a Flávio justamente no período em que o Coaf apontou os depósitos suspeitos em 2017.

Em depoimento à Folha, Fábio Guerra (ex-jogador de vôlei de praia) afirmou que pagou R$ 100 mil em dinheiro em espécie porque havia recebido os valores através da venda de outro apartamento.

“Como havia recebido aos poucos, fui pagando aos poucos”, afirmou Guerra.

O ex-jogador de vôlei de praia também afirmou que não mantém nenhuma relação de amizade com o senador eleito e que não tem mais contato com o mesmo.

Declaração de Guerra corrobora a versão de Flávio Bolsonaro

O depoimento dado nesta segunda-feira por Fábio Guerra certamente irá corroborar a versão apresentada por Flávio Bolsonaro nas entrevistas concedidas neste final de semana às emissoras RecordTV e RedeTV!.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Nelas, o filho de Bolsonaro disse que recebeu o pagamento em dinheiro e por esse motivo decidiu depositar o valor por conta própria em sua conta na Alerj. Na época, Flávio Bolsonaro exercia o cargo de deputado estadual e por esse motivo decidiu fazer a movimentação financeira no caixa eletrônico da instituição que possui convênio com o Itaú, banco este que o senador eleito possui conta. Por ser feito depósito em caixa eletrônico, o limite de depósitos em espécie é de R$ 2.000,00.

De acordo com Fábio Guerra, os R$ 100 mil pagos em dinheiro vivo faziam parte de uma dívida de R$ 550 mil pagos como sinal de uma transação de permuta, onde Flávio adquiriu dois imóveis de Fábio Guerra, sendo que o senador trocou sua cobertura situada na zona sul do Rio de Janeiro por um apartamento na Urca e uma sala comercial na Barra da Tijuca, imóveis do ex-atleta. Além dos imóveis, Fábio Guerra repassaria mais R$ 600 mil.

No total, a permuta foi de R$ 2,4 milhões, valor este referente à cobertura situada em Laranjeiras (zona sul).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo