O cenário político não parece sofrer grandes modificações em 2017. Com uma economia estagnada e uma crescente onda de demissões por todo o país, o Brasil precisa alavancar sua economia e voltar a crescer. Diversas ações do governo do presidente #Michel Temer (PMDB) foram colocadas em prática, buscando um crescimento expressivo para o país.

Cuba pode ter investimento do governo de Michel Temer

Os índices não são favoráveis ao governo formado por Michel Temer, que enfrenta um decrescimento econômico expressivo, desde que assumiu o poder. O presidente peemedebista busca, de todas as formas, reverter a situação econômica no país e, para isso, está a procura de ajuda internacional.

Publicidade
Publicidade

Para que um país cresça fazem-se necessários diversos acordos econômicos de importação e exportação. Esses acordos bilaterais garantem uma entrada efetiva de capital estrangeiro no país, aumentando, assim, o o superávit do país. Essa é uma das formas mais viáveis de driblar uma crise financeira, fortalecendo o comércio exterior do Brasil.

Aproximação de Michel Temer causa espanto nos brasileiros

O que pode espantar alguns cidadãos brasileiros é a aproximação do presidente do país com #Cuba. O país é apontado por diversos cidadãos como uma nação "comunista", já que sofreu críticas contra investimentos anteriores realizados no país.O Palácio do Planalto espera fazer investimentos em Cuba, assim como fizeram seus antecessores, Dilma Rousseff e Luís Inácio Lula da Silva, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT).

Publicidade

Com a abertura do comércio exterior a Cuba, a ilha estrategicamente localizada próxima ao sul dos Estados Unidos torna-se um local propício a grandes investimentos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estuda investir no sistema ferroviário de Cuba, garantindo, assim, crescimento para toda a população do país, que ainda vive em um regime comunista.

A indústria brasileira espera fornecer diversos serviços e produtos para Cuba após a aproximação de Temer com o país. Devem ser negociados com o país investimentos maciços na área de infraestrutura, bem como o fornecimento de combustíveis, como o etanol.