Um novo nódulo no fígado do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vem exigindo da equipe médica do Hospital Sírio-Libanês uma adequação nos recursos terapêuticos até então adotados. O tumor foi revelado nos exames de imagem, Nesta quarta-feira (17), durante rotina de tratamento de controle de linfonodos.

Por conta disso, ainda na quarta-feira, Bruno Covas recebeu sessão de quimioterapia, que se completou nesta quinta-feira (18). De acordo com Boletim Médico do Sírio-Libanês, Covas internou-se na terça-feira (16), encontrando-se clinicamente bem disposto e alimentando-se adequadamente.

Linfonodos de Bruno Covas controlados

Apesar deste novo advento no fígado de Bruno Covas, os exames de imagem revelaram também o sucesso na radioterapia para controle dos linfonodos na região do estômago. Com essa descoberta, de acordo ainda com o boletim da unidade hospitalar, o tratamento imunoterápico foi interrompido, para adoção de quimioterapia no modo tradicional.

A equipe médica prevê quatro sessões de 48 horas com espaço de tempo de 14 dias entre cada uma delas. Terminada esta etapa serão feitos novos exames para acompanhamento da doença.

Mais um desafio para Bruno Covas

Bruno Covas relatou nas redes sociais que a descoberta do nódulo é mais um desafio que ele enfrentará confiante, com a cabeça erguida e agradecido pelo apoio e carinho de todos.

Covas não vai se afastar do cargo, como ocorreu em vezes anteriores, continuando a trabalhar normalmente, apurou o portal G1. Bruno Covas começou a fase de quimioterapia já nesta quarta-feira (17), devendo permanecer no hospital Sírio-Libanês até o próximo sábado (20).

Material de Bruno Covas não foi para biópsia

Compondo a equipe médica que cuida de Bruno Covas no Sírio-Libanês, Davi Uip explica que pelo histórico do tratamento adotado para saúde do prefeito, não houve necessidade de enviar o material para biópsia.

Porém, foi imprescindível a urgência na aplicação da quimioterapia. Covas foi orientado ao término das 24 sessões de quimioterapia para tratar o câncer na cárdia a tirar licença para descansar.

Os médicos tinham a expectativa de que no final desta etapa, Covas continuasse com a imunoterapia e exames de controle. Neste sentido, o G1 destaca que o prefeito foi criticado nas redes sociais por ter ido ao Rio de Janeiro, em companhia do filho, assistir à final da Copa Libertadores.

O prefeito de São Paulo foi diagnosticado com câncer na região de transição entre o esôfago e o estômago, em outubro de ano 2019. No organismo de Covas, a doença já havia provocado também metástase no fígado e lesão nos linfonodos. Por este motivo, Covas foi submetido a quatro meses de tratamento. No mês de fevereiro de 2020, as imagens que auxiliam os médicos no diagnóstico de doenças, apontaram que houve regressão da lesão hepática. Mas o câncer nos linfonodos insistiam em permanecer, fazendo com que os médicos adotassem tratamento imunoterápico.

Eles acreditavam que o sistema imunológico de Covas combateria a doença, o que foi comprovado no mês de abril com exames revelando que as lesões dos linfonodos estavam controladas.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!