Um bebê de apenas 1 ano de vida morreu atropelado por um ônibus após cair do colo de sua mãe que, ao descer do coletivo, ficou com uma das pernas presa em uma das portas do veículo. O acidente ocorreu na noite deste domingo (24), na rua Padre Paulo Rególio, no bairro Céu Azul, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Ao sofrer o acidente, a mãe da vítima, de 20 anos, chegou a ser arrastada pelo ônibus por alguns metros e a criança acabou sendo atropelada antes mesmo de o motorista perceber que a jovem estava presa à porta.

Não resistindo às diversas fraturas, a menina acabou morrendo ainda no local.

Em depoimento na delegacia de Polícia da região, o motorista do ônibus da linha 608 que faz a ligação entre os bairros Nova Pampulha e Venda Nova, relatou que ao parar o coletivo no ponto para que os passageiros descessem no local, chegou a verificar os três espelhos do veículo antes de arrancar e prosseguir viagem.

Ainda conforme o condutor, de 29 anos, alguns segundos depois de sair do ponto os outros passageiros teriam começado a gritar pedindo para que ele parasse o coletivo.

Após conseguir estacionar novamente ele percebeu que a mãe da criança teria ficado com uma das pernas presa na porta central do ônibus e que ela chegou a ser arrastada por pelo menos 40 metros. Após as explicações na delegacia, o homem passou por um teste de bafômetro, cujo resultado teria dado negativo, e foi liberado pelos policiais. Ele ficará à disposição da polícia para quaisquer esclarecimentos dos fatos relacionados.

De acordo com pedestres e passageiros que estavam no coletivo que participaram do boletim de ocorrência, o motorista teria se desesperado ao ver o corpo da criança sem vida no chão. "Meu Deus, que foi que eu fiz, pelo amor de Deus", dizia o homem, em estado de choque, conforme as testemunhas.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia

Desespero na hora do acidente

De acordo com o depoimento da mãe da criança, ela teria esperado a parada completa do veículo no ponto para descer pela porta central, mas quando estava já no último degrau da escada percebeu que a porta do ônibus se fechou rapidamente, prendendo assim seu pé esquerdo. O motorista então teria seguido viajem e ela seguiu sendo arrastada por vários metros na rua Padre Paulo Rególio e só conseguiu se soltar quando o motorista parou o coletivo a pedido dos demais passageiros.

Ainda conforme a mulher, na hora do acidente seu filho teria caído de seus braços e foi atropelado logo em seguida pelo ônibus.

Após o ocorrido, uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e prestou os primeiros socorros à mulher, que teve diversas escoriações nos pés, braços e joelhos. Já o menino sofreu inúmeras fraturas pelo corpo e não resistiu aos ferimentos, morrendo no local.

Passageiros do ônibus reforçaram ainda mais os depoimentos da mãe da criança e também do motorista.

Conforme informações, uma pessoa que não teve sua identidade revelada teria afirmado que após o acidente a criança teria sido atropelada por outro veículo, e não pelo ônibus. Uma outra testemunha que estava na rua na hora do ocorrido, mencionou que viu quando a mãe conseguiu se desprender da porta do ônibus e correu em direção ao bebê caído no chão.

O caso agora será investigado por uma equipe da Divisão Especializada em Crimes de Trânsito.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo