Alguns ambientalistas já consideram a tragédia de Brumadinho uma das maiores do país, inclusive podendo ser maior que a tragédia de Mariana, que vitimou várias pessoas. A situação no local é crítica e chegou-se a falar em 200 desaparecidos e, além das perdas materiais, que neste momento são imensuráveis, as perdas humanas e ambientais começam a ser contabilizadas.

A barragem pertencia à mineradora Vale e o rompimento aconteceu durante a tarde desta sexta-feira (25), na cidade de Brumadinho, que fica na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

A avalanche de lama e rejeitos de minério destruíram praticamente toda a Vila Ferteco, que fica às margens do local,.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para resgatar os feridos. Os números ainda são confusos, mas se fala em no mínimo sete mortos e no final da noite, em cerca de 150 desaparecidos, mas os números variam de acordo com a evolução das buscas. Segundo a empresa responsável pela barragem, no momento da destruição havia cerca de 300 funcionários atuando no local. A Mina Feijão, local onde a barragem sofreu o rompimento, já estava fechada e desativada há cerca de quatro anos.

Jair Bolsonaro lamenta a tragédia

Jair Bolsonaro se pronunciou sobre a tragédia e revelou que a prioridade, neste momento, é o resgate das possíveis vítimas que estejam soterradas no local. O Gabinete de Crise do governo federal foi acionado. No sábado, dia 26, o presidente estará no local. A primeira dama, Michelle Bolsonaro também confirmou que estará no local ao lado da autoridade máxima do Executivo.

Onyx Lorenzoni também prestou homenagem às vítimas e disse que o Brasil não tem a cultura de evitar as tragédias. O governador do Estado também se pronunciou oficialmente. "No momento a grande medida é ver sobreviventes, e informar às famílias dos atingidos", afirmou o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), em nota. O governador já está no local da tragédia.

Vídeo revela drama de trabalhadores após a barragem se romper

Um vídeo que circulou nas redes sociais e foi divulgado pela RecordTV de Minas Gerais mostrou o momento da tragédia filmado por funcionários que trabalhavam no local, no momento do rompimento. Outros vídeos que circulam nas redes sociais também mostram o poder de destruição que foi causado pela lama e rejeitos. O "tsunami" destruía o que estivesse pela frente.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Veja o vídeo o desespero de quem estava próximo:

Outros vídeos que circulam nas redes sociais do poder de destruição e de como ficou a "terra arrasada" depois da passagem da onda de lama.

Não perca a nossa página no Facebook!