Iolanda de Oliveira (49) é mais uma mãe que busca de forma incessante notícias sobre seu filho sumido após a tragédia gerada pelo rompimento da barragem da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG). O que torna o caso de Dona Iolanda especial é que ela passou duas vezes pela inversão da ordem natural da vida e já enterrou dois de seus três filhos.

Seu único filho vivo, Robert Oliveira, 19, trabalhava na Vale e está desaparecido desde sexta-feira (25), quando a barragem se rompeu. A senhora de 49 anos contou ao portal R7 e à Record TV que viu o filho pela última vez na própria sexta-feira pela manhã, antes do ente ir trabalhar.

Ele iria ver a namorada e combinou que a mãe deveria encontrá-lo após o trabalho. Não houve encerramento do expediente e o que se viu por volta das 12 horas daquele dia foi uma lama que levou o que estava pela frente.

Iolanda perdeu outros dois filhos de maneira trágica

Na busca por notícias de seu último filho vivo, Iolanda ainda chorava a perda recente de outro. Richard Oliveira (18) que, aliás, é irmão gêmeo do outro desaparecido, foi assassinado. Ele foi morto pelo pai de sua namorada. O crime aconteceu há cerca de três meses. Ainda de luto, Iolanda agora pede desesperadamente para que autoridades deem alguma notícia sobre Robert. Em 2005, Iolanda também perdeu um outro filho. Michael morreu aos 19 anos vítima de leucemia.

O filho desaparecido, Robert, era ajudante-geral na Vale e estava na empresa multinacional há cerca de sete meses.

A mãe do jovem acredita que ele pudesse estar no refeitório quando a barragem se rompeu. O refeitório foi uma das áreas mais atingidas. O horário de rompimento da barragem ainda tornou o local ainda mais mortal e corpos continuam sendo encontrados na região.

Mãe disse já não ter mais esperanças

Desde o último sábado, nenhum sobrevivente da tragédia é encontrado.

O que se tem visto, desde então, é que o Corpo de Bombeiros tem envidado esforços para retirar corpos, principalmente na região do refeitório. Nem mesmo uma mãe esperançosa acredita que seu filho esteja vivo: "Eu não tenho mais esperanças que ele esteja vivo", revela a senhora. O filho de Iolanda já alertava a mãe sobre os riscos iminentes sobre a barragem.

O jovem disse que minava água do local.

Desde o sumiço de seu filho, Iolanda vem buscando informações diariamente sobre o rapaz, sem sucesso.

Até o final desta sexta (1º), já foram confirmadas 115 mortes e existem cerca de 250 desaparecidos.

Siga a página Natureza
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!