O pastor Fabrício da Silva Pimentel, do Rio de Janeiro, trabalhava como motorista do serviço de aplicativo para transporte individual Uber. Na sexta-feira (18), o homem de 40 anos desapareceu e familiares e amigos estavam desesperados em busca de informações sobre o paradeiro de Fabrício.

Na segunda-feira (21), a triste notícia da morte do pastor evangélico foi confirmado. O corpo foi encontrado em uma rua do bairro Maré, na cidade de Maricá, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) investiga as circunstâncias do crime.

A Polícia também trabalha com as informações que podem levar ao autor do crime.

As autoridades não deram mais detalhes do andamento das investigações para prender os ou o suspeito de ter cometido o crime contra o pastor Fabrício.

Amigos da vítima explicaram que ele estava trabalhando como motorista de aplicativo. Na sexta-feira, dia em que foi morto, acontecia um acampamento religioso em uma fazenda do distrito de Inoã, em Maricá. Fabrício teria levado alguns dos participantes do acampamento até o local e voltaria para buscar mais passageiros. Isso nunca aconteceu e o homem não foi mais visto.

Os familiares e amigos de Fabrício estranharam a demora. Com o passar das horas, a preocupação com a falta de notícias aumentou e eles decidiram divulgar o desaparecimento do pastor nas redes sociais.

Durante todo o sábado, nenhuma notícia sobre Fabrício foi dada.

No domingo, o carro que o pastor dirigia foi encontrado. O veículo estava vazio, de acordo com pessoas próximas à vítima. Com o dia já claro, encontrar o corpo de Fabrício em um local de difícil acesso, numa região de mata.

O enterro aconteceu nesta terça-feira (22).

Causa da morte

Puxando a ficha criminal de Fabrício, a polícia descobriu que ele já teve passagens por receptação e roubo.

As autoridades não informaram em que momento da vida de Fabrício isso aconteceu, mas tudo indica que foi antes de sua conversão.

Os policiais que investigam o caso trabalham nas linhas de que ele pode ter sido vítima de um acerto de contas ou de um latrocínio (roubo seguido de morte). Nos próximos dias, pessoas devem ser ouvidas.

O Uber tem sido usado por muitas pessoas em todo o Brasil para complementarem sua renda ou como renda principal.

Os números de 2017 mostravam que havia cerca de 500 mil motoristas em todo o país. O estado de São Paulo, com 150 mil, é que tem o maior número de motoristas em todo o país.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!