Em uma das audiências realizadas pela comissão externa que acompanha o caso do acidente com a barragem de rejeitos na cidade de Brumadinho, no estado de Minas Gerais, a coordenadora-geral de Emergências Ambientais do Ibama, Fernanda Pirilo, mencionou que após o acidente ocorrido, a mineradora Vale, principal responsável pela tragédia, estaria tratando os Animais resgatados no acidente com remédios fora da validade.

Fernanda Pirilo relatou que alguns dias depois da catástrofe, remédios vencidos foram distribuídos pela empresa para o tratamento dos animais resgatados com vida do Córrego do Feijão, com isso, o Ibama teria aplicado uma multa diária no valor de R$ 100 mil pelo descumprimento com as normas de salvamento dos animais na região afetada.

Ainda de acordo com a diretora do Ibama, membros da instituição, juntamente com o Ministério Público e outros órgãos ambientais, estão acompanhando de perto o salvamento dos animais desde o dia do acidente com a barragem. Ainda segundo Fernanda Pirilo, vistorias diárias estão sendo feitas nos alojamentos onde estão abrigados estes animais..

O Ibama autuou a mineradora Vale com cinco autos de infração, totalizando R$ 250 milhões em multa. Todas as infrações foram relacionadas por conta de causarem poluição e diversos estragos na natureza, inclusive a morte de vários animais. Também foi autuada por provocar a poluição da água por conta dos rejeitos de minérios lançados nos rios e, por consequência, causando o desabastecimento de água na região.

Um relatório será apresentado pelo Ibama ao Ministério Público até o fim deste mês mencionando os impactos negativos causados na fauna e flora da região por conta do acidente.

Dois voos são realizados pelos técnicos do Ibama diariamente pelo caminho por onde a lama com os detritos percorreu e também há um trabalho de assistência à comunidade indígena Pataxó hã hã hãe que vive em uma região próxima à área atingida pelos rejeitos.

Segundo a diretora do Ibama, a população indígena está sofrendo muito com o impacto causado na natureza, pois os rios foram poluídos com os rejeitos e os peixes que são essenciais para aldeia acabaram morrendo na região.

Em nota, a Vale afirma que nenhum animal foi tratado com medicações vencidas

Segundo a Vale, nenhum dos animais resgatados na tragédia foi tratado com medicamentos fora da validade, e que ao acontecer a tragédia, milhares de doações foram recebidas, inclusive medicamentos veterinários vindos de vários locais do país.

Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!