Nesta última quarta-feira, dia 20, uma mãe enterrou sua filha recém-nascida ainda com vida. O caso aconteceu no Ceará, mas já ganhou repercussão nacional nas redes sociais.

A mulher mora no município de Comocim, que fica a 350 quilômetros de Fortaleza. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, logo depois do parto a senhora Raimunda Nonata Laurindo da Silveira, 24 anos, decidiu enterrar a filha, sem que ninguém soubesse.

Publicidade
Publicidade

A mulher fez uma cova rasa, colocou a recém-nascida dentro e foi embora. Algumas horas depois ela acabou sendo pesa. A Polícia informou que a mulher fez de tudo para que ninguém descobrisse que estava grávida e, quando chegou no nono mês de gestação, bebeu um chá abortivo, que a fez sentir contrações pouco tempo depois. Raimunda correu até um terreno mais afastado de onde mora, em um local conhecido como Buriti.

Sozinha, a mulher entrou em trabalho de parto e deu à luz uma menina.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Animais

Após enterrar a filha, voltou para casa, mas como estava sangrando ainda, seu irmão suspeitou de que algo estava errado, já que vinha desconfiando que ela estaria grávida. Ele então foi até o terreno e encontrou o corpo de sua sobrinha, que teve o corpo parcialmente devorado por Animais.

Família arrasada

Imediatamente ele recolheu os restos mortais da recém-nascida e contou tudo para a família, que imediatamente chamou a polícia. A mulher foi encaminhada para a Delegacia Municipal de Jijoca de Jericoacoara e confessou que a menina nasceu com vida e até chorou.

Publicidade

A mulher contou que fez de tudo para esconder a gravidez porque não sabia qual seria a reação da família ao descobrir que ela estava grávida novamente, pois já teve dois filhos e um deles até foi entregue para adoção.

Para os policiais, a mulher confessou que fez tudo de forma premeditada, mas não contou como aprendeu a provocar o aborto, se teria sido pela internet ou se alguma outra pessoa estaria envolvida na morte da recém-nascida.

Agora o caso será transferido para a Delegacia Regional de Camocim.

A polícia disse que ainda há algumas perguntas sem respostas e espera esclarecer tudo nos próximos dias.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo