O número de casos confirmados de H1N1 no estado do Amazonas atingiu a marca dos 110, resultando em um total de 28 mortes, segundo a edição mais recente do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), elaborado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do estado do AM.

Através dos dados dessa pesquisa, percebeu-se que os casos dessa doença, conhecida também como Vírus da Influenza A, subiram de forma alarmante em todo o estado do Amazonas, contudo, o maior número de casos, bem como o número de mortos, concentrou-se mais em Manaus, capital do estado, onde houve 22 mortes devido à doença.

Publicidade

Em segundo lugar, está o município de Manacapuru, com dois óbitos e, logo em seguida, as cidades de Parintins, Itacoatiara, Japurá e Nhamundá, contando com uma morte cada uma.

Ainda segundo o relatório, o estado conta com dez mortes devido ao Vírus Sincicial Respiratório, sendo um na cidade de Borba e o restante em Manaus. Manaus que também responde por uma morte por Parainfluenza tipo 3.

Em resposta a esse boletim, o governo do estado iniciou uma intensa campanha de vacinação contra o vírus da Influenza.

No mesmo dia, já foram atendidas 34 cidades, incluindo a capital, que é a mais afetada.

As populações que são o foco dessa campanha são crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos. Além dos idosos, das gestantes, da população nativa e dos profissionais de saúde e educação.

A Secretaria de Saúde destacou que serão imunizados os profissionais tanto das redes públicas, quanto das redes privadas. Também serão imunizadas pessoas com Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Warkany e Síndrome de Patau, visto que as alterações genéticas comuns a essas síndromes favorecem o contágio.

Publicidade

Também serão atendidas as pessoas com doenças crônicas que não sejam transmissíveis. Entre elas doenças cardíacas, renais, respiratórias, hepáticas e neurológicas. Outros grupos de risco incluem obesos, pessoas com diabetes, imunossuprimidos e pessoas que já realizaram transplantes.

É esperado que, com essa campanha, mais 59 cidades iniciem suas campanhas de vacinação. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Susam), os municípios de Tonantins e Benjamin Constant foram os últimos a receberem as vacinas despachadas pelo Ministério da Saúde, nos dias 16 e 17 de março.

No estado do Amazonas já são 1.535 salas destinadas à imunização da população, sendo que 153 delas estão localizadas na capital e, as demais, distribuídas por mais 61 cidades.

O foco principal da campanha de vacinação são pessoas que estão no grupo de risco

Esses dados dizem respeito aos casos dos meses de fevereiro e março, sendo que eles também apontam que, das 39 mortes confirmadas, 30 delas foram de pessoas que estão caracterizadas no chamado grupo de risco, aquele que é composto por pessoas que são mais suscetíveis às variações mais perigosas da doença.

Publicidade

Esse grupo inclui idosos, crianças com menos de cinco anos, obesos, diabéticos e pessoas com distúrbios neurológicos ou nos pulmões. Dessa forma, as autoridades pedem que as pessoas que se enquadram nesse grupo procurem os postos de saúde para tomarem a vacina.