Um homem suspeito de agredir o filho de apenas um ano e a esposa durante rituais foi preso pela Polícia militar em Anápolis, Goiás.

A vítima decidiu procurar a Delegacia da Mulher para realizar a denúncia. Em seguida recebeu atendimento médico e foi necessário que ela permanecesse internada por causa da gravidade das agressões. A mãe da criança estava com uma das mãos quebrada.

Segundo a Polícia Civil, o rapaz teria sido detido após se ir à delegacia em busca da mulher e apresentar um nome falso.

A delegada Marisleide Sautir revelou que a esposa do rapaz estava muito abalada fisicamente e psicologicamente quando compareceu na delegacia. A delegada informou que aparentemente a vítima apresentava ferimentos graves em suas pernas e que esses ferimentos se assemelhavam a queimaduras. Já o bebê de um ano parecia ter sofrido uma lesão no rosto. Mãe e filho passaram por uma perícia para que fosse possível identificar os tipos de ferimento e a gravidade de cada um deles.

A delegada acredita que devido a gravidade das lesões é provável que à mulher esteja sendo submetida a agressões há vários dias e em vários momentos pode ter corrido risco de morte. A vítima disse à delegada que até mesmo quando ela ainda estava grávida já sofria agressões.

Marisleide também crê que a vítima possivelmente estava sendo vítima de tortura constante, porém precisará ouvir a mulher novamente para poder confirmar suas suspeitas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A delegada acredita também que provavelmente a vítima era agredida durante os rituais.

Em entervista ao portal G1, Marisleide contou que a vítima precisou ser encaminhada a uma unidade de saúde e permaneceu internada para passar por um procedimento cirúrgico. Sautir deseja conversar novamente com a vítima o mais rápido possível para poder confirmar se as agressões aconteciam durante rituais.

Segundo informações de Edinilson Ribeiro de Faria, que é o diretor clínico do Hospital Municipal de Anápolis, a paciente já está estável e consciente, porém permanece internada.

Ele ainda disse ao G1 que foi realizado alguns procedimentos nas mãos, braços e membros inferiores da vítima e que precisaram colocar curativos e ataduras. O diretor clínico conclui sua fala dizendo que a vítima estava com inúmeros hematomas, fragilizada, porém permanecia consciente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo