Uma pesquisa realizada pelo G1, com alguns dados do Censo Escolar, afirma que no Brasil cada vez mais tem diminuído o número de escolas com nomes em homenagem a presidentes do período do regime militar. Em 2018, apenas 595 escolas carregavam nomes de um dos cinco generais que ocuparam a presidência no período da ditadura. O número é bem menor do que as 809 escolas que faziam essa homenagem no ano de 2009, representando uma queda de 26%.

Presidentes no período da ditadura

O primeiro presidente durante o período da ditadura foi Humberto de Alencar Castelo Branco.

Seu governo durou 3 anos, entre 1964 e 1967, ano de sua morte, aos 67 anos de idade.

Arthur da Costa e Silva foi o segundo presidente, tendo governado de 1967 a 1969, ano de sua morte, também aos 67 anos. Ele também foi responsável pelo Ato Institucional nº 5 (AI-5).

Emílio Garrastazu Médici, que antes de governar foi chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI), foi o terceiro militar na presidência no período. Seu governo durou de 1969 a 1974.

Ernesto Geisel foi o quarto presidente da ditadura e seu governo teve a duração de cinco anos, indo de 1974 a 1979.

Por último foi João Baptista de Oliveira Figueiredo. Seu governo foi o mais longo, tendo durado de 1979 a 1985.

De acordo com os dados, eles consideram as variações na grafia dos nomes dos presidentes, porém também carregam o fato de que apenas as escolas cujo Censo Escolar divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, denominado Inep, eles oferecem o ensino básico regular e ainda estavam em atividade. 181.939 escolas são os padrões nesses requisitos, no ano de 2018.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Escola

Entre as escolas com nomes de presidente do período da ditadura militar, o nome mais comum é o de Castelo Branco. As que mais tiveram queda nos últimos 6 anos foram as batizadas em homenagem a Médici, passando de 151 para 105, uma redução de 30%. As trocas dos de escolas vêm ocorrendo desde o 2013.

As escolas que carregam homenagem a algum dos cinco presidentes da ditadura são em sua maioria públicas (96,5%). Mais de 2/3 estão concentradas em 495 municípios brasileiros e metade delas está na região do Nordeste.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo