Durante a manhã deste sábado (30) Emanuelly Vasconcelos foi assassinada por tiros efetuados pelo seu ex-marido no curso em que trabalhava como atendente, localizado no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. Algumas pessoas da família da vítima relataram que o ex-marido falava que sabia todos os passos que ela dava. Antes de ser assassinada ela recebeu uma ligação de alguém que não se identificou dizendo que estava a caminho do local de trabalho onde ela se encontrava para tirar a vida dela.

Ex estacionou o veículo em frente ao trabalho

Conforme relataram algumas testemunhas do caso, o ex-marido, Isac Ângelo dos Santos Filho, havia estacionado o seu veiculo em frente ao estabelecimento em que a vítima trabalhava, onde entrou e fechou as portas.

Após esta ação, efetuou cinco disparos contra a ex-Mulher. Quatro acertaram a vítima. Os alunos que estavam em aula durante o crime, ao ouvirem os tiros, correram para tentar arrombar a porta que havia sido trancada, para poderem sair do prédio.

Emanuelly e Isac tiveram um relacionamento por dezessete anos e se encontravam separados há aproximadamente três meses. O casal tinha uma filha de 10 anos de idade, conforme relatou a Polícia, que está responsável pelo caso. Em frente ao local onde a vítima foi assassina se encontra uma unidade da polícia e, por esse motivo, logo que ouviram-se os primeiros tiros, policiais foram para o local. Isac usou um revólver de calibre 38 para efetuar os disparos. A arma se encontra apreendida e o autor do crime foi levado até à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

A vítima já havia feito alguns relatos de que o seu ex-marido era agressivo, porem nunca tinha solicitado uma medida protetiva, conforme informou a polícia. Emanuelly havia recebido uma ligação às onze horas da manhã nesse sábado, dizendo que o ex-marido estava indo matar a jovem. A pessoa que efetuou a ligação não teria se identificado, conforme relatou um familiar da vítima.

Depois de ter recebido a ligação, os outros funcionários do local fecharam a porta, porém, abriram pouco tempo depois, pensando que o homem não cometeria o crime em frente a um local onde funciona um posto policial.

Wesley Vasconcelos, primo de Emanuelly, relatou que ela estava com medo de que o ex tentasse atacá-la na saída de seu trabalho e, por esse motivo, chegou até a levar lanches para o estabelecimento e pedir carona à sua prima para voltar para casa.

Isac mandava mensagens para ela dizendo que "sabia todos os passos dela".

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!