Um policial militar suspeito de ter agredido uma mulher na rua foi preso no Distrito Federal na última quinta-feira (18). Nesta terça-feira (23) foi revelado um vídeo no qual é possível ver a agressão acontecendo. A vítima também faz parte da Polícia Militar e foi deixada nua entre os carros presentes na rua após ser agredida. O crime ocorreu nos entornos da Praça Bicalho, em Taguatinga Norte.

De acordo com a PMDF, a Polícia foi chamada ao local da ocorrência para atender denúncias de violência doméstica. Uma vez no local, a equipe encontrou o suspeito, o PM Evaldo Barreto de Lima, de 45 anos, e a sua companheira.

Ambos são 3º sargento da PMDF.

De acordo com dados obtidos a partir dos depoimentos prestados, a policial agredida afirmou que seu marido começou a agressão com socos. Os dois estão juntos desde setembro de 2018. O homem teria começado a insultá-la, a dizer que ela era o demônio e a ameaçá-la de morte.

O PM suspeito de ser o autor da agressão foi detido, de acordo com o boletim de ocorrência. Entretanto, após prestar depoimento e pagar uma fiança de R$ 2 mil, ele foi liberado. Evaldo vai responder pelos crimes de injúria, lesão corporal, dano e também pela Lei Maria da Penha.

Apesar das evidências, o boletim de ocorrência menciona que a vítima foi apenas imobilizada após agredir o suspeito. Nesse sentido, a PM comentou que Evaldo foi levado para a Corregedoria para passar por medidas disciplinares e teve a sua arma de fogo apreendida.

A respeito da vítima, a polícia preferiu não tecer quaisquer tipos de comentários.

O advogado responsável pela defesa de Evaldo, Guilherme Holuboski, ressaltou que só se pronunciará a respeito do assunto após o processo ser encaminhado para a Justiça.

Nua e medicada

As filmagens feitas por transeuntes presentes no local da agressão mostram que a vítima foi deixada nua em um estacionamento.

A ocorrência registrada pela polícia, entretanto, relata que a briga ocorreu dentro do carro.

De acordo com o depoimento da própria policial agredida, ela afirmou que tirou a própria roupa e deu uma cabeçada em seu companheiro quando ainda estavam no veículo. Na ocasião, ela estava sob o efeito de remédios controlados.

A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e posteriormente encaminhada ao IML para passar pelos exames necessários para confirmar a agressão.

A Polícia Militar solicitou as devidas medidas protetivas para a policial agredida, em caráter de urgência, e respondeu a um questionário relacionado à violência doméstica e familiar. Esse relatório foi elaborado pelo Ministério Público do Distrito Federal em conjunto com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!