Edi Alves Guimarães, de 53 anos, morreu na tarde desta segunda-feira (17), [VIDEO] no Hospital Risoleta Neves, em Belo Horizonte. Ela estava internada no CTI desde a última sexta-feira (14), após inalar grande quantidade de fumaça, oriundas de pneus queimados durante os protestos contra a reforma da previdência. O óbito, de acordo com o hospital, foi registrado às 14h30.

Ela estava em um ônibus a caminho do trabalho, quando o veículo foi bloqueado na Avenida Antônio Carlos, na Região da Pampulha, próximo à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Publicidade
Publicidade

Ela foi socorrida por policiais militares e durante o caminho até o hospital, sofreu duas paradas cardiorrespiratórias.

A Mulher, que morava em Santa Luzia, na região metropolitana da capital mineira, era mãe de oito filhos e trabalhava em Belo Horizonte. O tenente-coronel Bruno Assunção relatou ao site G1 que o ônibus em que Edi estava foi o primeiro a passar por onde os pneus eram queimados e por isso ela inalou grande quantidade de fumaça tóxica. A empresa onde ela trabalhava há dez anos fica bem próximo ao local onde foi montado o bloqueio com pneus.

Publicidade

Mulher não tinha problemas respiratórios

O coordenador do pronto-socorro do Hospital Risoleta Neves, Arthur Alberto Braga Guimarães, disse ao G1 que ela chegou ao local em estado grave e inconsciente. Após serem realizados procedimentos de reanimação, Edi foi entubada e levada para o CTI.

Em nota à imprensa, o hospital informou que parentes haviam relatado que Edi não tinha histórico de doenças respiratórias.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Mulher

Ela será sepultada na tarde desta terça-feira (18), no Cemitério Belo Vale, em Santa Luzia. A Polícia Militar informou ao site EM que os outros ocupantes do ônibus não sofreram intoxicação com a fumaça dos pneus. A Polícia Civil irá investigar o caso.

Nas redes sociais, a morte de Edi Alves Guimarães provocou consternação e algumas pessoas enviaram mensagens lamentando o ocorrido. “Pessoa muito amável e muito querida”, dizia uma mensagem. “Quem Deus conforte a família da vítima”, postou outro.

Três são presos por tentarem incendiar ônibus

Em São Paulo, três rapazes que tentaram incendiar um ônibus coletivo durante os protestos da última sexta-feira (14), tiveram suas prisões preventivas decretadas. De acordo com relato do motorista ao G1, o fato ocorreu na Rua Consolação, no centro da cidade, quando os suspeitos entraram no coletivo carregando combustível e tentaram atear fogo no veículo com os passageiros dentro.

Publicidade

Eles foram detidos pela polícia e levados para o 78º DP, onde foram indiciados por tentativa de incêndio e homicídio qualificado. Foram apreendidas garrafas de combustível, bobinas e isqueiros.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo