Uma barragem se rompeu no fim da manhã desta quinta-feira (11) perto da cidade de Pedro Alexandre, no interior da Bahia. A localidade fica a 435 quilômetros de Salvador e estava enfrentando fortes chuvas, que podem ter contribuído para que a barragem viesse a se romper. A estrutura está com mais rachaduras que podem vir a ceder e trazer um prejuízo maior para a região.

O desastre aconteceu por volta de 11h, no distrito de Quati, e de acordo com a Defesa Civil, ainda não há informações sobre mortos e feridos.

A lama da barragem teria invadido estradas e prejudicado, dessa forma, o atendimento médico à população. A Rede Globo divulgou um vídeo mostrando um mar de lama tomando conta da BR-235, que liga os estados da Bahia e Sergipe.

De acordo com testemunhas, os rejeitos que desceram da barragem teriam coberto um povoado local. O alerta agora está para a cidade de Coronel João de Sá, que está na rota dos rejeitos e deverá ser atingida na parte da tarde de hoje.

A Defesa Civil e o prefeito da cidade, Carlinhos Sobral, já pediram para que as pessoas que moram em áreas de risco deixem as suas casas e salvem apenas o que puderem, como documentos e objetos de valor.

Segundo os mesmos, não é possível prever a dimensão do estrago que os rejeitos farão quando chegarem ao município, que fica a 33 quilômetros do ponto onde a barragem se rompeu. As duas cidades atingidas têm juntas aproximadamente 35 mil habitantes.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Natureza Política

O município já disponibilizou escolas e quadras da cidade para receber os moradores que sairão de suas casas.

De acordo com a prefeitura de Coronel João de Sá, a região que poderá ser mais atingida na cidade são as que ficam nos bairros Beira Rio, Bonfim, José Antônio dos Santos, Santo Antonio (rua velha), Galo, Barroquinha, e os próximos ao rio do Peixe.

Barragem de Brumadinho

Desde que uma barragem da mineradora Vale se rompeu na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, no dia 25 de janeiro de 2019, o Brasil inteiro está atento a essas estruturas, que muitas vezes se encontram próximas a cidades e povoados.

A tragédia em Brumadinho deixou 248 mortos e 22 pessoas seguem desaparecidas. Além das inúmeras pessoas que perderam seus familiares, esse tipo de tragédia prejudica o meio ambiente, deixando um rastro de destruição por onde passa.

Essas tragédias prejudicam também as atividades econômicas das cidades envolvidas nesses desastres, pois, muitas vezes essas regiões vivem da renda da mineração. No caso de Brumadinho, que era considerada uma cidade turística, muitos foram os impactos após o rompimento da barragem da Vale.

Nessa semana a empresa foi condenada pela Justiça de Minas Gerais a reparar os danos causados pelo desastre. Enquanto os reais valores não são apurados, a Justiça mantém bloqueados R$ 11 bilhões da mineradora para cobrir os danos já calculados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo