Três pessoas da mesma família foram encontradas mortas dentro da casa onde moravam, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na noite da última terça-feira (9). De acordo com informações do boletim de ocorrência, um casal e o filho deles de dois anos estavam em um quarto e, para espantar o frio, acenderam uma churrasqueira dentro do cômodo.

As vítimas são Uildes Lima Moreira, de 27 anos, a mulher dele, Gilmara Pinheiro de Jesus, de 20 anos, e o filho, Brenno Pinheiro Moreira, de dois anos.

A Polícia foi chamada por vizinhos e quando chegou ao local, situado na rua Piauí, no bairro Bonsucesso, não notou sinais de violência.

Os policiais encontraram o pai e a criança deitados na cama e a mãe deitada no chão, ao lado da cama, e a churrasqueira ainda acesa.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas as vítimas já estavam sem vida. A suspeita é que eles tenham morrido asfixiados depois de inalarem a fumaça. A perícia irá apurar o que, de fato, causou as mortes.

Casal era da Bahia

Há três anos o casal havia deixado a cidade de Ipiaú, no sul da Bahia, para trabalhar em São Paulo, estado onde nasceu o filho. Tatiane Lima, prima de Uildes, disse que havia conversado com eles no último domingo (7).

Em entrevista à TV Globo, a mãe de Gilmara, Josinélia Pinheiro, relembrou a última conversa que teve com a filha, feita em uma chamada de vídeo no domingo (7).

Na ocasião, a jovem aproveitou para mostrar a churrasqueira que tinha comprado. A mãe ainda orientou que a filha tivesse cuidado. "Eu falei com ela para ter cuidado com a churrasqueira, por causa de Brenno", disse a mãe.

Os corpos foram encaminhados para a cidade de origem do casal nesta quinta-feira (11) e ainda não há informações sobre velório e enterro.

Onda de frio matou três moradores de rua

A onda de frio que atingiu São Paulo na última semana causou a morte de três moradores de rua. A última dessas vítimas foi encontrada no último sábado (6), na região de Itaquera, na zona leste da capital paulista. A pessoa, que não foi identificada, foi encontrada rua Professor Leonídio Alegrete, com o corpo arroxeado.

Na sexta-feira (5), outros dois moradores de rua foram achados mortos. Por volta das 9h, passageiros avistaram o corpo de Gabriel Leguthe Laffot, de 22 anos. Ele estava nas escadas do terminal de ônibus e metrô da Barra Funda, na avenida Auro Soares de Moura Andrade.

De tarde, por volta das 14h30, outro morador de rua foi achado morto rua doutor Pacheco e Silva, na região do Canindé, no centro da capital paulista. O homem, que não tinha sido identificado, estava perto de um orelhão, molhado e sem calçados. Algumas pessoas até chegaram a lhe cobrir, imaginando que ele estivesse apenas dormindo.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!