Três pessoas da mesma família foram encontradas mortas dentro da casa onde moravam, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na noite da última terça-feira (9). De acordo com informações do boletim de ocorrência, um casal e o filho deles de dois anos estavam em um quarto e, para espantar o frio, acenderam uma churrasqueira dentro do cômodo.

As vítimas são Uildes Lima Moreira, de 27 anos, a mulher dele, Gilmara Pinheiro de Jesus, de 20 anos, e o filho, Brenno Pinheiro Moreira, de dois anos.

A Polícia foi chamada por vizinhos e quando chegou ao local, situado na rua Piauí, no bairro Bonsucesso, não notou sinais de violência. Os policiais encontraram o pai e a criança deitados na cama e a mãe deitada no chão, ao lado da cama, e a churrasqueira ainda acesa.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas as vítimas já estavam sem vida. A suspeita é que eles tenham morrido asfixiados depois de inalarem a fumaça. A perícia irá apurar o que, de fato, causou as mortes.

Casal era da Bahia

Há três anos o casal havia deixado a cidade de Ipiaú, no sul da Bahia, para trabalhar em São Paulo, estado onde nasceu o filho. Tatiane Lima, prima de Uildes, disse que havia conversado com eles no último domingo (7).

Em entrevista à TV Globo, a mãe de Gilmara, Josinélia Pinheiro, relembrou a última conversa que teve com a filha, feita em uma chamada de vídeo no domingo (7). Na ocasião, a jovem aproveitou para mostrar a churrasqueira que tinha comprado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Relacionamento

A mãe ainda orientou que a filha tivesse cuidado. "Eu falei com ela para ter cuidado com a churrasqueira, por causa de Brenno", disse a mãe.

Os corpos foram encaminhados para a cidade de origem do casal nesta quinta-feira (11) e ainda não há informações sobre velório e enterro.

Onda de frio matou três moradores de rua

A onda de frio que atingiu São Paulo na última semana causou a morte de três moradores de rua.

A última dessas vítimas foi encontrada no último sábado (6), na região de Itaquera, na zona leste da capital paulista. A pessoa, que não foi identificada, foi encontrada rua Professor Leonídio Alegrete, com o corpo arroxeado.

Na sexta-feira (5), outros dois moradores de rua foram achados mortos. Por volta das 9h, passageiros avistaram o corpo de Gabriel Leguthe Laffot, de 22 anos. Ele estava nas escadas do terminal de ônibus e metrô da Barra Funda, na avenida Auro Soares de Moura Andrade.

De tarde, por volta das 14h30, outro morador de rua foi achado morto rua doutor Pacheco e Silva, na região do Canindé, no centro da capital paulista. O homem, que não tinha sido identificado, estava perto de um orelhão, molhado e sem calçados. Algumas pessoas até chegaram a lhe cobrir, imaginando que ele estivesse apenas dormindo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo