Dois casais tiveram seus recém-nascidos trocados em Trindade, no interior de Goiás. Recentemente, eles decidiram viver juntos até que seja divulgado o resultado do exame de DNA, capaz de determinar a paternidade dos bebês. O material necessário para a realização do exame em questão foi colhido na última segunda-feira (29).

Ambas as crianças nasceram no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin), ainda no início do mês de julho e com uma separação de poucos minutos. As desconfianças acerca das trocas tiveram início quando um dos pais começou a reparar na falta de semelhança entre a criança e ele e sua esposa.

Nesse sentido, é possível destacar que o pai em questão é moreno, bem como sua mulher, e o bebê que receberam era branco e possuía olhos claros.

Partindo dessa desconfiança, o casal decidiu realizar um exame de DNA de maneira independente. Após o resultado, foi indicado que a criança, de fato, não era filha biológica de nenhum deles. Quando isso aconteceu, o bebê já estava vivendo com o casal há cerca de 20 dias.

Uma vez que as dúvidas desse casal chegaram ao conhecimento de um outro, cujo bebê nasceu no mesmo hospital e dia, também começou a pensar que o recém-nascido que estava em sua casa poderia não ser o seu filho biológico, visto que a falta de semelhança também era acentuada.

Devido a esses fatos, ambos os casais realizarão um exame de DNA. Para esse exame, foi colhido o material genético dos quatro, bem como dos bebês. O portal de notícias G1 tentou entrar em contato com o Hospital de Urgências de Trindade para obter maiores informações a respeito da realização do exame, mas não obteve resposta nesse sentido.

Hospital confirma troca

A troca dos recém-nascidos foi confirmada pelo Hutrin no último domingo (28), por meio de uma nota divulgada pelo próprio hospital.

Na nota foi informado que as pessoas que estavam trabalhando quando a troca das crianças aconteceu foram afastadas de seus cargos, assim como as que trabalharam na ocasião em que os bebês tiveram alta. Além disso, o hospital assegurou que os fatos estão sendo apurados de maneira interna no presente momento.

A respeito dos casais, é possível ressaltar que Murilo Marquez Praxedes Lobo e Aline de Fátima Bueno Alves, que vivem na cidade de Santa Bárbara de Goiás, viverão pelos próximos dias na casa do outro casal que teve o bebê trocado, composto por Genésio Vieira de Sousa e Pauliana Maciel Aguiar de Sousa, que residem na cidade de Trindade.

Uma vez que o material genético necessário para a realização do DNA foi colhido, ambos os casais se dirigiram à delegacia de Trindade para estipular se a troca das crianças aconteceria antes mesmo da divulgação do resultado do exame. Entretanto, de acordo com Murilo, embora a Polícia Civil quisesse realizar a troca imediata das crianças, os pais não desejaram proceder dessa maneira, de modo que o arranjo de viver juntos foi feito até que o resultado do exame de DNA fique pronto. Murilo também apontou que, dessa maneira, as mães não sofrerão tanto com todo o processo e também afirmou que os dois casais têm a intenção de conviver ao longo dos anos.

Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!