A morte do Pastor Anderson, marido da Deputada Flordelis, chocou o Brasil inteiro pela forma como foi cometida e pelo fato do casal ser muito conhecido no meio evangélico e da política. Próximo de completar um mês de seu assassinato, muitos fatos ainda são um mistério a ser desvendado pela Polícia de Niterói, no Rio de Janeiro.

Mesmo a investigação da polícia correndo em sigilo, pontos ainda não desvendados continuam sendo investigados.

Dezenas de pessoas já foram ouvidas pelos investigadores, alguns mais de uma vez, entre eles a esposa filhos, noras, genros e pessoas que frequentavam a casa da família. Vale lembrar que o casal tinha 55 filhos, sendo 51 adotados e 4 biológicos da deputada.

De acordo com informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo, pessoas ligadas à frente evangélica citaram como teses para o crime um possível abuso infantil, rixa entre o Ministério Flordelis, que tinha o comando do pastor Anderson, e igrejas vizinhas, e até mesmo crime político, visto que Anderson do Carmo estava reorganizando a estrutura do PSD e o casal tinha a intenção de lançar a deputada como candidata à Prefeitura de São Gonçalo nas eleições de 2020.

Dois filhos do casal estão presos suspeitos de envolvimento no crime: Flávio, que teria confessado que deu seis tiros no pai, e Lucas, que seria o responsável por comprar a arma usada no homicídio. Segundo o laudo da morte do pastor, ele tinha por volta de 30 perfurações em seu corpo, a maioria na região da virilha.

Os mistérios do caso

Onde está o celular do pastor e de Flávio?

A polícia acredita que os celulares da vítima e de um dos suspeitos de envolvimentos pode ajudar a elucidar o caso, mas nenhum dos dois foi encontrado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Polícia

Sebe-se que o celular de Anderson foi usado momentos após o crime por um dos filhos do mesmo. É investigado se uma neta da deputada teria jogado o aparelho no mar.

O que foi queimado na fogueira acessa na casa?

Dois dias após o crime a polícia foi fazer uma busca na casa da deputada e se depararam com uma fogueira no quintal. Os investigadores recolheram o que foi possível das cinzas e mandaram para a perícia.

Quem participou da morte do pastor?

Flávio, filho do casal, teria confessado que deu seis tiros no pai, mas outras pessoas também teriam atirado? A polícia não descarta essa possibilidade, inclusive a participação do outro filho que está preso. Apesar de as câmeras terem mostrado ele saindo da casa antes do crime, ele poderia ter entrado pelos fundos da residência.

A arma encontrada é a que foi usada no crime? Quantos tiros foram dados?

Na busca realizada na casa da deputada, a polícia encontrou uma pistola em cima de um guarda-roupa usado por Flávio.

Os primeiros testes mostraram que sim, mas o resultado final será dado pelo Instituto de criminalística. No corpo da vítima tinham 30 perfurações, mas não era possível saber quais seriam de entrada ou saída, por isso não saberiam quantos tiros foram dados no mesmo.

Qual a motivação do crime?

Ainda não se sabe qual teria sido a real motivação para o crime, o que a polícia já informou é que não se trata de um latrocínio, crime seguido de morte.

Para os investigadores a motivação é familiar. A princípio foi cogitada uma suposta traição por parte do pastor que teria sido descoberta pelos filhos, mas nada foi confirmado e a deputada nega veemente essa acusação.

Flordelis está envolvida na morte do marido?

Segundo a delegada responsável pelo caso, todas as pessoas que moravam na casa ou que estavam próximo à cena do crime são investigados pela morte de Anderson, inclusive a deputada Flordelis. Em depoimento um dos filhos do casal teria dito que a mãe e mais três filhas colocavam remédio na comida do pastor e que isso o fazia passar mal. A deputada nega qualquer envolvimento na morte do marido e disse que está sendo ouvida pela polícia como testemunha no caso. Ela disse que se foi um dos filhos que cometeu o crime, ele terá que pagar por isso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo