A esposa do goleiro Bruno Fernandes, Ingrid Calheiros Oliveira, usou as redes sociais para falar sobre a saída do marido da prisão. Bruno foi condenado a quase 23 anos de prisão pelo assassinato da modelo Eliza Samúdio. Na última sexta-feira (19), o atleta deixou a prisão após conquistar o direito a progressão de pena, o que garante o cumprimento do restante da condenação em regime semiaberto. A esposa de Bruno usou seu Instagram Stories para comentar a liberdade do marido e rebater críticas recebidas por internautas. A cirurgiã-dentista afirmou que Bruno já teria cumprido a pena pela morte de Eliza Samúdio e também aproveitou para agradecer o apoio de amigos e familiares.

A mãe de Eliza, Sônia Moura, reagiu com revolta ao tomar conhecimento da progressão da pena de Bruno.

Ingrid diz que não se importa com opiniões

De acordo com o jornal O Globo, Ingrid Calheiros rebateu as críticas recebidas após a saída do marido da prisão. "Não queria que ele cumprisse pena? Tá cumprido. Agora parem de encher o saco e cuidem da vida de vocês", disparou a cirurgiã-dentista.

As publicações teriam sido feitas na manhã do último sábado (20). A esposa do atleta também mencionou as mensagens de apoio recebidas e afirmou que as críticas e comentários maldosos não a afetavam.

Bruno e Ingrid estão juntos desde 2008, antes mesmo do ex-jogador ser preso, e vieram a se casar no ano de 2016. O atleta estava preso em Varginha, Minas Gerais, e terá o prazo de 30 dias para escolher sua atribuição profissional.

Na decisão que concedeu a progressão da pena de Bruno, a falta grave atribuída ao ex-jogador em fevereiro deste ano foi desconsiderada. À época, Bruno foi flagrado em um bar com duas mulheres, ao lado da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), onde deveria cumprir seu trabalho externo.

Mãe de Eliza Samúdio comentou a decisão

Ainda segundo o jornal O Globo, Sônia Moura, mãe de Eliza, manifestou-se acerca da decisão que pôs o ex-jogador em liberdade.

Sônia, que mora em Mato Grosso do Sul com o neto, filho de Bruno e Eliza, afirmou que enquanto o atleta iria responder em liberdade, o neto perguntava onde estava o corpo da mãe, já que o paradeiro da modelo jamais foi descoberto. Sônia falou sobre a angústia de não terem localizado o corpo de sua filha e questionou se poderia chamar isso de justiça.

O assassinato de Eliza Samúdio ocorreu no ano de 2010, no sítio do atleta em Minas Gerais. Bruno atuava pelo Flamengo à época de sua prisão e foi condenado três anos depois. Da pena, Bruno já cumpriu 8 anos e 10 meses de detenção. No ano de 2017, Bruno chegou a conseguir um habeas corpus e voltou a atuar como goleiro do clube Boa Esporte, de Minas Gerais, porém, a decisão foi revertida pela Primeira Turma do Supremo.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!