Após nove meses presa na Penitenciária Estadual de Piraquara, em Curitiba, Allana Brittes falou pela primeira vez após deixar a unidade prisional na semana passada. A jovem de 18 anos concedeu entrevista a Roberto Cabrini, do "Conexão Repórter", do SBT, e contou detalhes do crime.

Allana foi presa sob as acusações de coação no curso do processo, corrupção de menor e fraude processual no caso do assassinato de Daniel Corrêa. O jogador foi morto em outubro do ano passado, após a festa de aniversário de 18 anos da filha de Edison Brittes, seu assassino confesso.

A mãe de Allana, Cristiana Brittes, também está presa, sob a acusação de homicídio, fraude processual e coação de testemunha. A filha dos Brittes saiu em liberdade na semana passada graças a um habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Versão de Allana Brittes

De acordo com o portal UOL, Allana afirmou que realmente seu pai, Edison Brittes, teria assassinado o jogador, mas que o atleta teria parcela de culpa no ocorrido. "Quem procurou tudo isso foi o próprio Daniel", disse a jovem.

Allana revelou ainda que não teria participação alguma na morte do jogador, mas que na época do fato precisava proteger o pai até que ele se entregasse à Justiça. A jovem contou que Daniel havia entrado no quarto de seus pais sem ser convidado, e quando ela entrou no local, teria visto o pai segurando o jogador pelo pescoço em cima da cama do casal, dizendo que o atleta estaria tentando violentar sua mãe.

Na primeira quinzena deste mês, todos os réus prestarão depoimento à juíza Luciani Regina de Paula acerca do assassinato de Daniel. A juíza encerrará a fase de instrução do processo e irá decidir se os réus irão ou não a júri popular.

Allana responde o processo em liberdade, mas também estará no banco dos réus, junto às outras seis pessoas que respondem pelo homicídio. Segundo o site BOL, a entrevista será exibida no SBT nesta segunda-feira (12).

Durante a conversa, a jovem contou sua versão sobre os fatos em meio a lagrimas, confissões e momentos de silêncio.

Relembre o caso

Daniel Corrêa foi morto em outubro de 2018, após deixar uma casa noturna em Curitiba onde era comemorado o aniversário de 18 anos de Allana Brittes. Após o evento, o jogador e outros convidados foram até a casa da família Brittes dar continuidade às comemorações. Em dado momento, Daniel teria ido ao quarto do casal, Edison e Cristiana, onde teria sido flagrado e espancado. Após as agressões, Daniel foi levado a uma região de mata, onde foi degolado e teve suas partes íntimas decepadas pelo pai de Allana, que assumiu a responsabilidade pelo crime.

À Polícia, Edison contou que teria assassinado o jogador pelo fato do atleta ter tentado abusar de sua mulher.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!