Alexandre Nardoni, 41, condenado pelo assassinato de sua filha Isabela, em 2008, deixou a prisão na última quinta-feira (8), devido ao benefício da "saidinha" de sete dias em razão do Dia dos Pais. Ele cumpre sua pena na Penitenciária 2 de Tremembé, que fica cerca de 150 quilômetros da capital paulista.

A saidinha de Alexandre causou furor nas redes sociais. Pessoas anônimas e personalidades famosas comentaram a saída temporária de Nardoni. Um comentário que chamou muita a atenção foi o do padre Fábio de Melo.

Em seu twitter, o padre Fábio fez uma publicação no qual ironizou a liberação concedida a Nardoni. De acordo com o padre, tal liberação deveria ser permitida apenas em ocasião do feriado de Finados, dia conhecido como "dia dos mortos", para que, dessa forma, os detentores da saída temporária pudessem visitar os túmulos das vítimas que assassinaram.

A publicação do padre gerou grande repercussão na web.

Milhares de pessoas comentaram a postagem e as opiniões se divergiam. Enquanto haviam aqueles que concordavam com o padre, muitos discordavam.

Um seguidor chegou a dizer que além de padre Fábio não entender das leis, também não entendia nada da Bíblia.

Um outro seguidor comentou que a liberação temporária para o Dia dos Pais, tratando-se de um pai condenado pelo assassinato da própria filha, é algo que causa revolta, porém, afirmou que existe uma previsão legal e justificativa coerente para tal atitude da Justiça, mas concordou que mesmo assim esse fato causa muita indignação na população.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Famosos Polícia

Entenda o caso Nardoni

O jurI popular condenou o pai e a madrasta pela morte da menina Isabella. A condenação de Alexandre é de 31 anos, 1 mês e 10 dias, já a de Anna Carolina é de 26 anos e oito meses.

A menina Isabella Nardoni, de apenas 5 anos, morreu no dia 29 de março de 2008.

Isabella estava passando um final de semana na casa do seu pai, Alexandre, juntamente com dois irmãos mais novos e sua madrasta, Anna Carolina. Todos eles acabavam de voltar da casa dos pais de Carolina Jatobá.

A cronologia do caso Isabella mostra que às 23h30 a menina "caiu" do sexto andar sobre o gramado que existe em frente ao prédio. Embora a criança tenha sido socorrida, ela acabou falecendo.

Na delegacia, pai e madrasta afirmam que alguém jogou a menina pela janela. Os médicos legistas encontram ferimentos no corpo da criança que podem ter ocorrido antes mesmo dela cair.

Após as investigações de praxe, o delegado responsável pelo caso afirmou que se tratava mesmo de um homicídio e não um acidente. No dia 17 de abril o laudo da perícia foi divulgado pela TV Globo. O laudo concluiu que a menina foi esganada por cerca de três minutos e isso ocasionou uma parada respiratória na criança. Isabela foi jogada. A queda causou um politraumatismo e lesionou órgãos internos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo