A principal testemunha da morte do jogador Daniel Correia Freitas, Lucas Stumpf (conhecido pelo apelido de Lucas Mineiro), afirmou ter visto o assassino confesso de Daniel, Edison Brittes, enforcando o jogador. O crime aconteceu em cima da cama da esposa de Edison, Cristiana Britttes, e ela pediu socorro durante a ocorrência. As declarações foram dadas em entrevista à RPC, afiliada da Rede Globo no Paraná.

Stumpf já prestou seu depoimento à Justiça. Ele foi responsável pelo primeiro relato do caso à polícia, feito ainda um dia depois do crime em questão, que aconteceu no dia 27 de outubro de 2018.

Dos sete réus investigados, seis já estão presos desde o mês de novembro.

Evellyn Peruso, que foi acusada de fornecer depoimento falso, bem como de denunciação caluniosa, atualmente é a única pessoa a responder ao processo em liberdade.

O crime aconteceu após a comemoração do aniversário de 18 anos de Allana Brittes, a filha de Edison, que aconteceu em uma casa noturna na cidade de Curitiba. Após o encerramento da festa no local, algumas pessoas foram convidadas a continuar a comemoração na casa da família e Lucas Stumpf foi uma delas.

De acordo com ele, ao olhar pela janela do local, viu Daniel sendo enforcado na cama de Cristiana e viu que quem o estava enforcando era Edison. "Eu vi o Edison enforcando ele em cima da cama", revela. Lucas também relatou ter visto Edison batendo em Daniel enquanto o enforcava. Na ocasião, o jogador estava vestindo apenas uma camiseta e cueca.

Durante o seu depoimento à Polícia, Edison Brittes alegou que o motivo para o crime foi uma tentativa de estupro.

De acordo com ele, Daniel teria tentado estuprar a sua esposa. Entretanto, para a Polícia Civil e para o Ministério Público do Paraná (MP-PR), tal tentativa nunca aconteceu.

Essa foi a primeira ocasião em que Lucas mostrou o seu rosto.

Pedidos de socorro

De acordo com Lucas, enquanto Edison matava Daniel, Cristiana tentava pedir socorro. Entretanto, para o rapaz, ela não poderia ter feito nada e não tinha outra maneira de reagir naquele momento.

Lucas, porém, se mostra confuso quanto à motivação para o pedido de socorro: se ele estaria ligado a algo que aconteceu com a própria Cristiana ou se o pedido era em nome de Daniel. Entretanto, de acordo com ele e considerando toda a cena que presenciou, o pedido só poderia ser para Daniel.

O rapaz ainda contou que Allana estava muito assustada com toda a situação e pedia para que seu pai parasse. Lucas alega ter ouvido a jovem questionando o que estava acontecendo, visivelmente horrorizada.

Lucas chegou a tentar intervir na situação. Quando Edison estava agredindo Daniel, ele pediu para que o homem parasse, mas foi ameaçado.

De acordo com o rapaz, ao tentar interceder pelo jogador, Edison afirmou que se Lucas não ajudasse com o que ele estava fazendo, o próximo a ser agredido seria ele.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!