A jovem Margareth Teixeira, de 17 anos, uma das seis vítimas fatais dos últimos tiroteios entre bandidos e policiais, foi atingida por vários disparos, segundo laudo da perícia. Ela estava com o filho de um ano e nove meses no colo quando foi alvejada durante uma operação realizada na última terça-feira (13), na Comunidade Quarenta e Oito, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com o laudo, um dos tiros atingiu o abdômen da jovem, causando a sua morte.

Ainda segundo a perícia, os projéteis que atingiram a jovem partiram de uma arma com alto poder de destruição.

O bebê que a adolescente carregava foi ferido com um tiro de raspão no pé e está internado no Hospital Albert Schweitzer. O estado dele é estável, segundo informação passada pela Secretaria de Saúde.

“Minha irmã foi reconhecer o corpo e tem dez furos”, disse Marina Costa, irmã de Margareth.

“Para mim não foi bala perdida, foi bala achada mesmo”, disse. “A Margareth era uma menina muito meiga, dócil”, disse Taiane Costa, prima da jovem. Ela disse ainda que a criança não consegue dormir e está muito assustada.

A irmã da jovem, Merielle Ventura, de 24 anos, afirmou ao jornal O Globo que a família não tem condição financeira de pagar o enterro e o Estado arcará com os R$ 4.100 cobrados pelo sepultamento.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Na operação, dois suspeitos foram mortos e com eles foram apreendidas duas pistolas, dois fuzis, seis carregadores de fuzil, 12 carregadores de pistola, uma granada e dois rádios comunicadores.

Armas dos policiais que participaram da operação e as que estavam em poder dos bandidos que foram mortos passarão por confronto de balística para saber de onde partiram os tiros que mataram a jovem.

Outra vítima vira nome de quadra esportiva

O jogador das categorias de base do América, Dyogo Costa Xavier de Brito, foi outra vítima nesta semana por bala perdida no Rio de Janeiro.

Ele levou um tiro nas costas durante uma operação na Grota do Surucucu, em Niterói, na última segunda-feira (11), quando estava a caminho do treino.

Como uma forma de homenageá-lo, uma quadra esportiva no bairro, que será revitalizada, ganhou seu nome. “Sabemos que essa homenagem não vai trazer meu neto de volta, mas o nome dele nunca será esquecido", disse o avó do jovem, que o socorreu após ele ser ferido.

O espaço será inaugurado no ano que vem.

Margareth e Diogo foram dois dos seis jovens mortos durante operações policiais no Rio de Janeiro na última semana. Na sexta-feira (9), Gabriel Pereira Alves, de 18 anos, levou um tiro no peito enquanto esperava um ônibus, na Tijuca. No mesmo dia, Lucas Monteiro dos Santos Costa e Tiago Freitas, ambos de 21 anos, foram mortos após participarem de uma festa em Encantados, zona norte do Rio de Janeiro.

Na segunda-feira (11), Henrico de Jesus Viegas de Menezes Júnior, foi atingido na cabeça durante troca de tiros na Comunidade Terra Nova, no Bairro Lagoa, em Magé.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo