Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen, deixou por volta das 8h desta quinta-feira (8) a penitenciária P1 de Tremembé, no interior de SP, para a saída temporária de Dia dos Pais.

Ela era esperada desde as 7h por uma mulher que dirigia um carro branco. No horário citado, a mulher em questão a ajudou a entrar no veículo e transportou-a para a sua saída temporária. A saída em questão representa a segunda ocasião em que Suzane von Richthofen deixou a prisão neste ano.

Em momentos anteriores, ela chegou a ser punida por ter sido vista em uma festa em Taubaté, no interior de SP.

A punição em questão aconteceu ainda no fim do ano passado e deveria durar por três saídas temporárias. Entretanto, foi revogada pela Justiça, que alegou não ter acontecido qualquer quebra de regras durante o comparecimento de Suzane na festa em questão.

O benefício das saídas temporárias foi conquistado por Suzane após a obtenção de uma progressão do regime fechado para o semiaberto. Tal direito foi conquistado pela detenta ainda em outubro de 2015. A sua primeira saída, porém, só foi acontecer no ano seguinte, em março de 2016, para o feriado da Páscoa.

Como funcionam as saídas

Embora muita gente se sinta indignada com presos como Suzane von Richthofen e o casal Nardoni deixando a prisão em feriados, o benefício é assegurado por lei.

Dessa maneira, estima-se que cerca de 3 mil presos pertencentes ao sistema prisional do Vale do Paraíba tenham conseguido a saída temporária do Dia dos Pais.

O processo teve início ainda na última quarta-feira (7) e os detentos deverão retornar até o próximo dia 14.

É possível destacar que a maioria dos presos liberados compõe a população carcerária do Centro de Progressão Penitenciária Edgar Magalhães Noronha (CPP). Entretanto, além dos detentos do CPP, alguns presos da P1 e da P2 de Tremembé também deixarão as dependências do presídio em decorrência do benefício.

As saídas temporárias são asseguradas a detentos que cumprem pena em regime semiaberto. Além disso, elas possuem um calendário pré-determinado, que é estabelecido pela Vara de Execuções Penais da região em que a penitenciária se encontra.

Nesse sentido, é possível afirmar que os presídios situados no Vale do Paraíba chegam a liberar os seus detentos para as saídas em questão até cinco vezes no ano, sempre em datas comemorativas.

As datas em questão são, normalmente, a Páscoa, o Dia das Mães, o Dia dos Pais, o Dia das Crianças e, por fim, as festas de final de ano, como Natal e Ano Novo. Os presos devem oferecer o endereço em que poderão ser encontrados e retornar dentro de um período pré-estabelecido.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!