Preso desde 2008, após assassinar a própria filha, Isabella Nardoni, de 5 anos, Alexandre Nardoni foi beneficiado com a chamada "saidinha" de Dia dos Pais. O detento cumpre pena no presídio de Tremembé, no interior de SP. Segundo informações do portal G1, esta é a primeira vez que ele recebe o benefício.

Após ganhar liberdade temporária, por volta de 8h desta quinta-feira (8) o detento deixou o complexo prisional de carona em uma caminhonete Mitsubishi L200 Triton da cor branca, que está registrada no nome de sua família. Devido à cor escura dos vidros, não foi possível gravar imagens do interior do veículo.

Ainda de acordo com informações, a caminhonete estava esperando por Nardoni estacionada na parte interna da penitenciária. Enquanto ele saía de carro, os demais detentos saiam caminhando a pé.

Depois de ser condenado a 30 anos de detenção em regime fechado, em abril Alexandre conseguiu na Justiça a progressão de pena para o regime semiaberto. A mudança foi concedida pelo juiz responsável pelo caso. O magistrado entendeu que o detento tinha direito ao benefício após apresentar bom comportamento na cadeia e após completar 10 anos de reclusão.

A cúmplice

A mulher de Alexandre, Ana Carolina Jatobá, cúmplice no crime, obteve a progressão de pena e foi transferida para o regime semiaberto em 2017. Na manhã desta quinta-feira ela também foi beneficiada com a "saidinha".

Na ocasião, Jatobá deixou a Penitenciária Estadual Santa Maria Eufrásia Pelletier, acompanhada pela advogada. Ambas saíram em um carro de luxo.

Apesar de condenados pelo assassinato da pequena Isabella, Alexandre e Ana Carolina sempre negaram envolvimento no crime. Aos cinco anos de idade, a criança foi arremessada do sexto andar do edifício no qual a família morava.

A perícia realizada no apartamento da família e as câmeras de segurança comprovaram que no dia do crime não havia mais ninguém no local onde a menina foi morta.

Penitenciária abriga presos famosos

A penitenciária P2 de Tremembé também abriga outros criminosos que ganharam destaque nas manchetes dos jornais, como é o caso de Cristian Cravinhos e Lindemberg Fernandes.

O primeiro cumpre pena em Tremembé desde 2003, quando foi preso acusado de assassinar o casal Richthofen. O segundo foi preso em 2008, acusado de assassinar com um tiro na cabeça a ex-namorada Eloá Cristina Pimentel. O caso aconteceu durante uma discussão entre o casal. Na ocasião, Lindemberg fez Eloá e uma amiga dela reféns no apartamento da vítima. Em toda a região do Vale do Paraíba, estima-se que cerca de 3 mil detentos sejam beneficiados com a saída temporária. O benefício começou a ser concedido desde quarta-feira (7). O retorno deve ocorrer até o dia 14 de agosto.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!