O jornal Folha de S.Paulo divulgou na última segunda-feira (2) a pesquisa elaborada pelo Datafolha. Na pesquisa é mostrado que houve um aumento na reprovação ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

De acordo com as informações da pesquisa, o percentual de rejeição do presidente, que na pesquisa anterior feita em julho estava em 33%, está agora em 38%.

O Datafolha ouviu 2.878 pessoas com idade superior a 16 anos, em 175 municípios do Brasil, entre os dias 29 e 30 de agosto.

'Papai Noel'

Por duas vezes nesta segunda-feira Jair Bolsonaro contestou os resultados apresentados pelo instituto.

Na parte da manhã, nas suas tradicionais entrevistas no Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro duvidou da credibilidade da pesquisa: "alguém acredita no Datafolha? Você acredita em Papai Noel?".

À tarde, o presidente usou o Twitter para novamente criticar o Datafolha: "segundo o mesmo Datafolha que diz que eu seria derrotado se as eleições fossem hoje, eu perdi as eleições de 2018. Muito confiável!". O tuíte do presidente estava acompanhado com o compartilhamento de uma imagem do site do PT, que mostrava pesquisa feita entre os dias 26 e 28 de setembro de 2018, ou seja, uma semana antes do primeiro turno.

Outros resultados da pesquisa mostram que a aprovação de Bolsonaro teve a queda mais impactante desde o início de seu governo.

Esta queda se dá principalmente entre os mais ricos --com renda mensal acima de dez salários mínimos--, de 52% para 37%.

'Governadores de Paraíba'

A rejeição do presidente no Nordeste foi de 41% para 52%, o que talvez tenha sido reflexo da fala do presidente, que em julho insultou os governadores da região Nordeste, ao se referir a eles como "governadores de Paraíba".

O total dos entrevistados que consideram o atual governo como "ótimo ou bom" teve queda. Antes estava em 33%, agora está em 29%, dentro da margem de erro do levantamento do Datafolha.

O governo foi considerado "regular" por 30% dos entrevistados, mesmo percentual da pesquisa anterior.

Outro ponto em que Bolsonaro se saiu mal foi a rejeição ao seu comportamento.

Para 32% dos entrevistados, Jair Bolsonaro não se comporta de forma adequada para o cargo em nenhuma ocasião, o resultado teve um aumento de 7 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior.

Presidente Haddad

A pesquisa mostra também que o candidato derrotado Fernando Haddad (PT) seria eleito presidente se a eleição fosse hoje.

O candidato petista ganharia a eleição com 42% dos votos, enquanto o candidato do PSL ficaria com 36% das intenções de voto, de acordo com a pesquisa.

Em 2018, no segundo turno da eleição, Bolsonaro ficou com 55,13% dos votos válidos, enquanto Haddad obteve 44,87%.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!