Nessa sexta-feira (8), às 16h21, Danilo Pereira Júnior autorizou a soltura do ex-presidente Lula. O alvará foi concedido por Danilo Pereira Júnior, juiz federal que está substituindo Carolina Lebbos em seu período de férias. Lebbos somente retornará no dia 22 de novembro.

O alvará foi expedido após um pedido dos advogados de Lula, protocolado por volta das 11h, também nessa sexta-feira (8), e encaminhado para o juiz por volta das 12h50.

Desde então, o magistrado estava apto a dar a sua sentença.

A petição foi possível depois de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão acabou por derrubar a prisão automática do ex-presidente, que aconteceu depois de uma condenação em segunda instância.

Segundo informações fornecias por Gleisi Hoffman, que atualmente ocupa o cargo de presidente do Partido dos Trabalhadores, Lula já tem uma agenda a cumprir depois da sua soltura, que acontecerá a qualquer momento.

A primeira parada do ex-presidente será uma vigília organizada por vários militantes do PT em frente à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso.

Após a vigília, o ex-presidente deverá seguir para o Sindicato dos Metalúrgicos, localizado na cidade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. No local, Lula encontrará mais amigos e militantes.

Até o presente momento, não existem detalhes a respeito do esquema de segurança montado para acompanhar Lula em sua saída da prisão.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula PT

No momento, várias pessoas estão aglomeradas ao redor da Polícia Federal esperando pela liberação do ex-presidente, acompanhados por bandeiras e faixas do Partido dos Trabalhadores.

Condenação em abril de 2018

O ex-presidente Luiz Inácio da Silva foi preso em abril de 2018, em decorrência da condenação no caso do tríplex de Guarujá. Devido a isso, Lula cumpria pena de 8 anos e 10 meses pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção.

Uma vez que o ex-presidente já havia cumprido uma parte de sua pena, poderia abandonar o regime fechado e passar para o semiaberto. Entretanto, Lula afirmou que não desejava fazer isso. De acordo com os advogados do petista, como a condenação foi injusta, deveria haver a suspensão de todo o processo contra Lula.

Sobre o julgamento definitivo da sentença do petista, destaca-se que ele não tardará muito a acontecer e está previsto para o mês de dezembro.

Dessa forma, caso a Suprema Corte aceite os argumentos apresentados pela defesa de Lula, a sentença do ex-presidente poderá ser anulada.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo