Alexandre Nardoni, que foi condenado a 30 anos de reclusão, acusado da morte de sua filha Isabella Nardoni, recebeu agora novamente o benefício para poder retornar para o regime semiaberto, direito que ele havia perdido. A decisão ocorreu devido a um habeas corpus que foi concedido pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O detento havia perdido o benefício do semiaberto em agosto deste ano, após um pedido feito pelo Ministério Público (MP) de que Nardoni deveria passar por um teste psicológico, e por isso deveria sair do semiaberto.

A decisão foi publicada no dia 30 do último mês, mas só teve sua divulgação nesta última terça-feira (5). O ministro Ribeiro Dantas afirmou, após a decisão, de que Alexandre tem o direito de retornar para o regime semiaberto, visto que este foi um benefício que o preso conquistou em abril deste ano, e que ele havia conseguido justamente por ter apresentado um bom comportamento durante o tempo que esteve na prisão, e também nunca apresentou nenhuma falha disciplinar, além do fato de ter aceitado passar pelo exame psicológico.

O juiz responsável declarou que, devido ao exame criminológico favorável a Alexandre, ele não precisaria passar por um exame psicológico, como foi solicitado pelo Ministério Público que fosse feito para ele permanecer no regime semiaberto. O teste que deveria ser eito é o de Rorschach, conhecido popularmente como o “teste do borrão”, que visa avaliar o perfil das pessoas utilizando de imagens apresentadas que elas precisam interpretar.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Defesa de Alexandre Nardoni não se posiciona

Dantas ainda alegou na decisão que tanto o tempo de pena recebido pelo presidiário quanto o delito cometido por ele não podem ser utilizados como fundamento para poder tomar qualquer tipo de decisão que irá afetar diretamente a progressão do regime prisional. A defesa de Nardoni foi procurada pela reportagem do site “UOL”, mas não quis comentar a decisão do STJ.

Até o momento não foi declarado nada a respeito da defesa de Nardoni quanto a decisão que possibilitará que o presidiário retorne novamente para o semiaberto, e que agora volte a usufruir dos benefícios concedidos aos presos do semiaberto, como, por exemplo, as saidinhas em determinadas ocasiões, como “Dia das Crianças” e “Dia dos Pais”, que é garantido por lei aos detentos que estão no semiaberto.

Atualmente, Alexandre está cumprindo pena na penitenciária de Tremembé, localizada no interior de São Paulo. A pena de Nardoni é baseada em homicídio qualificado por meio cruel, mediante recurso, e que também impossibilitou a defesa da vítima para ocultação de outro crime. Ele é acusado de ter cometido o assassinato de sua filha Isabella Nardoni, em 2008, e contou com a ajuda de sua esposa, Anna Carolina Jatobá, que também está presa na ala feminina da penitenciária de Tremembé.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo