Um acidente em um elevador matou quatro pessoas da mesma família em um prédio residencial em Santos, litoral de São Paulo, por volta das 20H desta segunda-feira (30). A cabine em que eles estavam despencou do nono andar do edifício, localizado na rua Guararapes, no bairro Vila Belmiro. Não havia outros ocupantes no aparelho.

Os corpos das vítimas foram retirados do local do acidente apenas na madrugada desta terça-feira (31). Eles estavam em um elevador de serviço quando ocorreu a queda e uma equipe da perícia foi até o edifício para apurar as causas do acidente.

A queda ocorreu no momento da subida e o equipamento estaria com a manutenção em dia. A rua Guararapes precisou ser totalmente interditada pela Companhia de Engenharia e Tráfego (CET).

Quem são as vítimas do acidente

O prédio onde ocorreu o acidente foi construído em 1998, serve como moradia para os militares que atuam na Capitania dos Portos de São Paulo e uma das vítimas é a esposa de um oficial que serve na CPSP e os outros três familiares da mulher.

A esposa do suboficial da Marinha era Jucelina Santos, de 47 anos.

Ela morava há três anos no edifício Tiffany e havia descido até o térreo para buscar os familiares, que haviam acabado de chegar de Santo André, e iriam passar a virada do ano na cidade.

As outras vítimas são Lucineide de Souza Goes e Edilson Donizete, que é irmã de Jucelina, e o filho do casal, Eric Miguel, de 19 anos. A idade do casal não foi revelada.

Manutenção estava em dia

De acordo com documentos da empresa que fornece os serviços de elevador para o Residencial Tiffany, o equipamento em que ocorreu o acidente vitimando quatro pessoas estava com a manutenção em dia.

Já o Vice-Almirante Sérgio Fernando de Amaral Chaves Júnior, em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (31), afirmou que a última inspeção no elevador foi realizada pela empresa no dia 23 de dezembro. “A manutenção estava em dia, com uma empresa contratada para realizar o serviço”, disse. O Vice-Almirante disse ainda que não foi feito ainda contato com a empresa que presta os serviços, o que deverá ser feito após o laudo confirmar as causas do acidente.

Marinha se manifesta

Por meio da Capitania dos Portos de São Paulo, a Marinha do Brasil emitiu uma nota oficial, onde diz lamentar o acidente que vitimou os familiares de um militar que serve à CPSP. O texto ressalta ainda que a Marinha está dando todo o suporte possível às famílias e um inquérito Policial Militar será aberto para apurar as causas do acidente.

A Prefeitura de Santos também se manifestou através de nota, onde informou que um engenheiro da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações foi deslocado até o Edifício Tiffany para acompanhar os trabalhos da empresa que presta serviços de manutenção aos elevadores do prédio.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!